Bem vindos/as ao THArmyPT :]
Se gostas de Tokio Hotel e queres estar em contacto com as fãs,então aqui é o sitio certo para conviveres com tais ^^
Se ainda não estás inscrita,de que estás á espera? Faz já o teu registo e diverte-te Very Happy
Se já estás registada,faz o teu Log in e Live every second Razz

A Administração.



 
InícioPortalFAQBuscarRegistrar-seConectar-se

Compartilhe | 
 

 |se eu fosse um dia o respirar...| Fan Fic ++18

Ir em baixo 
AutorMensagem
FantasyTrue
Beginner
Beginner
avatar

Número de Mensagens : 12
Idade : 25
Localização : Porto
Sou fã desde: : 2007
Data de inscrição : 04/07/2012

MensagemAssunto: |se eu fosse um dia o respirar...| Fan Fic ++18   Qua Jul 04, 2012 4:44 am

Como todas as histórias de amor, esta começa com:
Era uma vez,

Mas,
Será que terminará com :
"E viveram felizes para sempre" ?






Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
FantasyTrue
Beginner
Beginner
avatar

Número de Mensagens : 12
Idade : 25
Localização : Porto
Sou fã desde: : 2007
Data de inscrição : 04/07/2012

MensagemAssunto: 1º capitulo - Introdução   Qua Jul 04, 2012 5:15 am

Toda aquela agitação o excitava, e de alguma forma o deixava nervoso, ele era uma Rock Star, um homem de palco, mas o calor e agitação faziam a adrenalina correr no seu corpo.

" I'm ready to heal
I'm ready to feel

Owow
They're telling me It's beautiful
I believe them But will I ever know
The world behind my wall"

Agradeceu, por talvez o terem ouvido, por o terem aplaudido de pé, abandonou o palco, que para ele era como uma casa, era onde ele se sentia bem,

e de volta a estrada, agora tudo que o acompanhava era a solidão, e nem o seu nome lhe fazia sentido, nem se o voltassem a gritar em êxtase, ele sentia falta dela, não a conhecia, não sabia o seu nome, mas sabia o seu cheiro...doce...tão doce, e a cor do seu cabelo, cor de cereja, cor da paixão, e aqueles olhos tão negros que contrastam com a pele...tão branca, como se sobrenatural fosse.

Ela apenas fazia parte da multidão, mas não seria mais uma,



Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
FantasyTrue
Beginner
Beginner
avatar

Número de Mensagens : 12
Idade : 25
Localização : Porto
Sou fã desde: : 2007
Data de inscrição : 04/07/2012

MensagemAssunto: - 1º Capitulo . fim introdução   Qua Jul 04, 2012 5:47 am



Bill havia a visto num dos muitos concertos que deu, mas aquela mulher de alguma maneira o chamou a atenção, o corpo dela vibrava perante toda aquela confusão de corpos iguais, a partir desse momento a melancolia controlou a sua mente.

Entre todas as suas preces , a vida continuava, era Agosto, o Sol estava no auge.


*BILL*



Tom: Ora, Bom dia...dormiste bem? - os óculos escuros certamente tapavam uma noite em que pouco havia dormido
Bill: Sim Tom...sim dormi, os G's ainda estão nos quartos? - levantei-me, hoje não me sentia com disposição para conversas de rotina.
Tom desceu os óculos e olhou o relógio: Bill? -Olhei de relance- O que se passa?
engoli em seco, tudo menos confessar a minha depressão: Nada tom, que raio se deveria de passar?
Tom olhou-me sério: são 15h da tarde e tu estás de pijama, sem maquilhagem... Bill vou dar-te uma novidade, partilhei 9 messes o mesmo espaço que tu , e durante todos estes anos também...que se passa? tens saudades de casa?
Bill- suspirei, eu queria dizer-lhe que não, mas que iria eu dizer, que estava apaixonado pelo fantasma da opera? pff - sim Tom, são saudades de casa, só isso.


Mais tarde acabei por lhe contar porque realmente estava triste, ele não achou estúpido de minha parte, na verdade falou-me de enviar essa ideia para uma editora de filmes porno, daria uma boa história.


Tudo isto fazia da minha vida uma verdadeira novela, até me deparar com a maior surpresa da minha vida, conhecer a mulher que iria ser tudo o que sempre quis e fazer de mim um predador sexual, um amante, um homem, mais do que amor e conforto encontrei ao lado dela..prazer.





-Continua? bounce





Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
FantasyTrue
Beginner
Beginner
avatar

Número de Mensagens : 12
Idade : 25
Localização : Porto
Sou fã desde: : 2007
Data de inscrição : 04/07/2012

MensagemAssunto: Capitulo | - One night only - Parte 1   Sex Jul 06, 2012 2:53 am

(Bill POV)

O sexo nunca foi importante para mim, os meus ideias passavam por outras raízes , o amor era sim o ponto crucial para que o resultado fosse a junção de dois corpos.


Capitulo | - One night only -Parte 1

Sentia-me cansado de viajar, e a solidão assombrava-me de uma maneira assustadora e por mais louco que pareça eu nunca estava sozinho, estava rodeado de fans que me adoravam e acima de tudo amava aquilo que eu fazia, que esperava mais eu? Afinal, tudo o que sempre sonhei estava a acontecer, E as consequências disso eram apenas a a solidão e a falta de casa, mas confortava-me no meu irmão.

Então Tom resolveu que hoje deveríamos sair, sentia que eu andava na estranho e magoa-lhe o facto de não saber o porque, saímos apenas os dois.

A limusina levou-nos a um club Londrino, Tom havia escolhido o lugar, não demoramos a entrar, adorei de imediato a decoração, senta-mo-nos ao fundo da sala e puxei de imediato o cigarro, estes ambientes abrem-me o apetite de fumar.

Tom tentava animar-me, e eu sentia-me bem na companhia dele.

A noite ia longa, no inicio da sala havia um palco, os meus olhos pararam para observar o abrir de cortinas vermelhas, as luzes ofuscaram a minha visão e daquele centro esvoaçou uma voz feminina:
"You Want all my love
and my devotion
You want my love and soul right on the line
I have no doubt that I could love you forever
The only trouble is you really don't have the time

You've got one night only, one night only, that's all you have to spare
One night only, let's not pretend to care
One night only, one night only, come on big baby come on
One night only, we only ask you don't



Aquela voz parecia-me vinda de outro mundo, ao longe via um chapéu negro que tapava a face de uma silhueta feminina, Sentia as vozes masculinas gritarem, e aumentavam a cada passo daquela mulher, o chapéu que lhe escondia a maior parte do rosto acabou por ser atirado ao chão, deixando uma mascara a tapar-me o rosto que parecia pálido, e os seus olhos de um castanho mel reluziam como diamantes, o seu cabelo comprido com pequenos caracóis de um tom vermelho vibrante davam àquela personagem um ar místico acompanhado pelos lábios carnudos evidenciados pelo batom encarnado que jubilava, não lhe via o rosto completo, não via as feições mas a meus olhos toda aquela beleza me parecia irreal.

O chapéu continuava imóvel no chão e ela percorria o palco com passos de Deusa, o sobretudo de tons negros acabou por ter o mesmo destino e um corpo desenhado com todo o cuidado revelou-se aos olhos dos presentes.
A excitação de Tom era evidente pela maneira como mexia no piercing, voltei a concentrar me naquele corpo que a mim me parecia familiar.

As luzes concentraram-se no centro do palco e mostravam um varão, que aquela mulher usou com agilidade, deixando de utilizar a voz, passando a usar a dança como sedução, o seu sutiã acabou por ser retirado do corpo, não mostrando por completo os seios, na minha mente apenas surgiam perguntas: como ela me parecia familiar, o porque dela estar num club a dar um espetaculo de strip com uma beleza tão exótica ela poderia conquistar o mundo.


Após ela dar o ultimo passo no palco e as cortinas fecharem os meus olhos desceram de posição, teria de encontrar aquela mulher, dizer-lhe o quanto ela é linda, queria ver o seu rosto completo, descobrir porque me arrepiei ao ver os seus olhos.

Afastei-me de Tom, que falava com uma rapariga.
tentei procura-la, sentia-me um príncipe procurando a Cinderela no baile, vi de lanço os seus cabelos esvoaçarem entre a multidão, percorri os seus passos, ela olhou-me pelo canto do olho, mas não consegui ver o seu rosto completo, parecia que fugia de mim, alcancei a porta, mas....nem sinal dela, a não ser o rasto de perfume, doce....

Sorri, estaria a ficar maluco? ela era apenas uma estranha....

olhei o chão e acenei a cabeça de forma negativa, foi quando me deparei com um papel no chão com o meu nome, aproximei-me tirando a mão do bolso apanhei-o, abri-o com cuidado:

"Finalmente consegui chamar a tua atenção"
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
FantasyTrue
Beginner
Beginner
avatar

Número de Mensagens : 12
Idade : 25
Localização : Porto
Sou fã desde: : 2007
Data de inscrição : 04/07/2012

MensagemAssunto: Re: |se eu fosse um dia o respirar...| Fan Fic ++18   Sex Jul 06, 2012 6:05 am

Capitulo | - One night only- Parte 2

O sorriso invadiu o meu rosto, seria ela? o que para mim não passava de recordação presa na esperança, agora é um cheiro, um olhar....seria ela?

Não evitei olhar em meu redor, não vi ninguém, ela não me poderia escapar desta maneira, eu queira beija-la....tocar seu rosto....não....eu enlouqueci, perdi a razão...infelizmente o meu coração conhecia esta falta de tudo e chama-se : Amor.
Estaria eu apaixonado? ou seria a loucura que me consumiu por completo?

Caminhei até ao carro, não sentia a presença dela por perto, queria descansar um pouco antes de sair-mos de Londres, nunca o caminho para casa me pareceu tão pequeno.

Rodei a chaves na porta e entrei, não gostava da escuridão que me rodeava só clareava a minha solidão.
Subi as escadas mas a minha mente a muito que voava noutra direcção, entrei no quarto atirando o casaco para o cadeirão, olhei a janela , via o seu rosto no vidraça, toquei-lhe, como me parecia real e ela agora sorria-me.
O sangue desceu-me quando senti um toque leve pelas costas, confirmado, eu enlouqueci de vez.

Rodei o meu corpo, temi que apenas fosse uma ilusão, não, era ela, estava mesmo á minha frente,Não me preocupei em pergunta como ela havia entrado, quem era ela, como seria possivel a beleza dela ser tão infernal, mas o seu rosto continuava tapado pela máscara,o meu corpo não reagiu como a minha mente fernetica sugeriu , o impulso contido anteriormente explodiu, e agarrei-a nos meus braços como se ela fosse minha, os meus lábios tremiam e encontraram outros, beijei-a , aquela seria a nossa noite, ela seria minha e aquele beijo seria apenas o inicio da minha loucura... beija-mo-nos como se ela fosse o ar que eu necessitava para sobreviver

Capitulo | - One night only- parte 3
Queria ser dela, e queria senti-la como se fosse apenas minha, mesmo que apenas fosse por esta noite.

A língua dela tem gosto de morango e o meu corpo não ficaria novamente quente se ela se afastasse de mim. O meu coração parecia querer romper o meu peito, e as sensações tornaram-se claras naquele momento, mas como podia eu ama-la se nem o nome dela eu sabia?
Mas eu necessito de a sentir, de a beijar, caminhamos para a cama sem nunca parar de nos beijar,cai lentamente sobre ela e senti quão macia era a sua pele, que estava vermelha das minhas mãos lhe tocarem, despi com pressa a minha camisola ela beijou o meu peito descendo a mão fria pela minha barriga, causando me arrepios ao qual gemi, os seus olhos olhavam agora os meus e a sua boca encaminhou-se para o meu mamilo, mexendo a língua contra o meu piercing, o contraste de frio quente na minha pele, como seria possível todas as emoções?
Agarrei entre os dedos alguns fios de cabelo dela, e senti a frescura do seu cheiro, mordi de imediato o seu pescoço, a minha língua deixava a pele molhada e subi ate a sua boca, encontrando a sua língua novamente, senti a sua mão gelada nas minhas calças, tentavam tirar o meu cinto, o que acabou por conseguir, num momento fiquei sem elas e apresei-me a despir a sua saia de cabedal, beijei as pernas torneadas dela, daquela desconhecida que se propôs a ser minha companhia nesta noite, então a minha cabeça começou a alertar-me para esta loucura, afastei-me:

-És a miúda do concerto em Londres?

Ela de imediato me encarou e levantou-se, deixando-me sozinho na cama, que me parecia agora enorme e vazia.

- Sou- respondeu baixinho- Bill eu quero ser tua. Quero ser a tua musa- e desapertou o sutiã, deixando-me contemplar o seu peito farto- tu vais ser meu, o teu desejo é a minha maior arma.

ela tinha razão, tinha-me na mão, no seu domínio.
caminhou para mim, e pegou minha mão, levou-a aos seus seios e eu acariciei-os, lentamente levei a boca a eles,mas não a encarei, ela pegou a minha face.

-Olha-me, quero que me olhes.

Tenho certeza que as minhas bochechas estavam agora vermelhas, mas ela hipnotizou-me, continuei a passar a língua no seu mamilo excitado pela minha presença, senti que as suas mãos puxavam as minhas boxeres, senti vergonha da minha exposição.

Deixei de sentir o quente do seu peito, ajoelhou-se perante mim, e lambeu o meu membro, não me controlei gemi, pegando novamente nas minhas mãos colocou-as no seu cabelo.

- comanda-me- gemeu baixinho antes de engolir por completo o meu membro, eu apenas gritei, e sinto-me levado pela loucura, puxei os seus cabelos até sentir novamente a sua garganta, movimentei as ancas em sua direção,puxei a sua cabeça de volta, deixando o meu membro molhado pela sua saliva desaparecer da sua boca, a sua língua brincava com meu membro, mas eu queria sentir toda a sua boca novamente e volto a puxar os seus cabelos, quando ela me encarou e movimentou sozinha a sua boca e mexia os meus lábios como um gemido mudo, o prazer controlava-me, estou a senti-lo pela primeira vez.

ela levantou-se e sentou-se no cadeirão, abriu as pernas, eu simplesmente não quero acreditar que possa ser realidade toda aquela beleza, vi-a meter a mão dentro das cuecas, a única roupa que ainda a tapa, ouvi seu gemido e um arrepio passou todo o meu corpo.

Mas algo me distraiu , ouvi a porta principal bater, é o Tom, ele não faz ideia que está uma mulher na casa...

Ela olhou-me,
- é o tom- garanti, ele não sabe que estás cá.

-Eu quero que ele assista á nossa loucura Bill.

Não quero acreditar que ela esteja a falar a sério, seria por fim, a aprovação ao meu atestado de loucura.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
FantasyTrue
Beginner
Beginner
avatar

Número de Mensagens : 12
Idade : 25
Localização : Porto
Sou fã desde: : 2007
Data de inscrição : 04/07/2012

MensagemAssunto: Se eu fosse um dia o respirar -Capitulo 1- Parte 4   Ter Jul 10, 2012 11:29 pm

_____________________________________________________________

"Leve, lento, nu, fiel
E este vento
Que te navega na pele.
Pede-me a paz
Dou-te o mundo
Louco, livre assim sou eu
(Um pouco +...)
Solta-te a voz lá do fundo,
Grita, mostra-me a cor do céu.

Se eu fosse um dia o teu olhar,
E tu as minhas mãos também,
se eu fosse um dia o respirar
E tu perfume de ninguém.
Se eu fosse um dia o teu olhar"


_____________________________________________________________

O sorriso invadiu o meu rosto, seria ela? o que para mim não passava de recordação presa na esperança, agora é um cheiro, um olhar....seria ela?

Não evitei olhar em meu redor, não vi ninguém, ela não me poderia escapar desta maneira, eu queira beija-la....tocar seu rosto....não....eu enlouqueci, perdi a razão...infelizmente o meu coração conhecia esta falta de tudo e chama-se : Amor.
Estaria eu apaixonado? ou seria a loucura que me consumiu por completo?

Caminhei até ao carro, não sentia a presença dela por perto, queria descansar um pouco antes de sair-mos de Londres, nunca o caminho para casa me pareceu tão pequeno.

Deslizei a chaves na porta e entrei, não gostava da escuridão que me rodeava só clareava a minha solidão.
Subi as escadas mas a minha mente a muito que voava noutra direcção, entrei no quarto atirando o casaco para o cadeirão, olhei a janela , via o seu rosto no vidraça, toquei-lhe, como me parecia real e ela agora sorria-me.
O sangue desceu-me quando senti um toque leve pelas costas, confirmado, eu enlouqueci de vez.


Rodei o meu corpo, temi que apenas fosse uma ilusão, não, era ela, estava mesmo á minha frente,Não me preocupei em pergunta como ela havia entrado, quem era ela, como seria possivel a beleza dela ser tão infernal, mas o seu rosto continuava tapado pela máscara,o meu corpo não reagiu como a minha mente fernetica sugeriu , o impulso contido anteriormente explodiu, e agarrei-a nos meus braços como se ela fosse minha, os meus lábios tremiam e encontraram outros, beijei-a , aquela seria a nossa noite, ela seria minha e aquele beijo seria apenas o inicio da minha loucura... beija-mo-nos como se ela fosse o ar que eu necessitava para sobreviver



Queria ser dela, e queria senti-la como se fosse apenas minha, mesmo que apenas fosse por esta noite.

A língua dela tem gosto simples de morango e o meu corpo não ficaria novamente quente se ela se afastasse de mim. O meu coração parecia então querer romper o meu peito, e as sensações tornaram-se claras naquele momento, mas como podia eu ama-la se nem o nome dela eu sabia?

Mas eu necessito de a sentir, de a beijar, caminhamos para a cama sem nunca parar de nos beijar,cai lentamente sobre ela e senti quão macia era a sua pele, que estava vermelha das minhas mãos lhe tocarem, despi com pressa a minha camisola ela beijou o meu peito descendo a mão fria pela minha barriga, causando me arrepios ao qual gemi, os seus olhos olhavam agora os meus e a sua boca encaminhou-se para o meu mamilo, mexendo a língua contra o meu piercing, o contraste de frio quente na minha pele, como seria possível todas as emoções?
Agarrei entre os dedos alguns fios de cabelo dela, e senti a frescura do seu cheiro, mordi de imediato o seu pescoço, a minha língua deixava a pele molhada e subi ate a sua boca, encontrando a sua língua novamente, senti a sua mão gelada nas minhas calças, tentavam tirar o meu cinto, o que acabou por conseguir, num momento fiquei sem elas e apresei-me a despir a sua saia de cabedal, beijei as pernas torneadas dela, daquela desconhecida que se propôs a ser minha companhia nesta noite, então a minha cabeça começou a alertar-me para esta loucura, afastei-me:

-És a miúda do concerto em Londres?

Ela de imediato me encarou e levantou-se, deixando-me sozinho na cama, que me parecia agora enorme e vazia.

- Sou- respondeu baixinho- Bill eu quero ser tua. Quero ser a tua musa- e desapertou o sutiã, deixando-me contemplar o seu peito farto- tu vais ser meu, o teu desejo é a minha maior arma.

ela tinha razão, tinha-me na mão, no seu domínio.
caminhou para mim, e pegou minha mão, levou-a aos seus seios e eu acariciei-os, lentamente levei a boca a eles,mas não a encarei, ela pegou a minha face.

-Olha-me, quero que me olhes.

Tenho certeza que as minhas bochechas estavam agora vermelhas, mas ela hipnotizou-me, continuei a passar a língua no seu mamilo excitado pela minha presença, senti que as suas mãos puxavam as minhas boxeres, senti vergonha da minha exposição.

Deixei de sentir o quente do seu peito, ajoelhou-se perante mim, e lambeu o meu membro, não me controlei gemi, pegando novamente nas minhas mãos colocou-as no seu cabelo.

- comanda-me- gemeu baixinho antes de engolir por completo o meu membro, eu apenas gritei, e sinto-me levado pela loucura, puxei os seus cabelos até sentir novamente a sua garganta, movimentei as ancas em sua direção,puxei a sua cabeça de volta, deixando o meu membro molhado pela sua saliva desaparecer da sua boca, a sua língua brincava com meu membro, mas eu queria sentir toda a sua boca novamente e volto a puxar os seus cabelos, quando ela me encarou e movimentou sozinha a sua boca e mexia os meus lábios como um gemido mudo, o prazer controlava-me, estou a senti-lo pela primeira vez.

ela levantou-se e sentou-se no cadeirão, abriu as pernas, eu simplesmente não quero acreditar que possa ser realidade toda aquela beleza, vi-a meter a mão dentro das cuecas, a única roupa que ainda a tapa, ouvi seu gemido e um arrepio passou todo o meu corpo.

Mas algo me distraiu , ouvi a porta principal bater, é o Tom, ele não faz ideia que está uma mulher na casa...

Ela olhou-me,
- é o tom- garanti, ele não sabe que estás cá.

-Eu quero que ele assista á nossa loucura Bill.

Não quero acreditar que ela esteja a falar a sério, seria por fim, a aprovação ao meu atestado de loucura.

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
FantasyTrue
Beginner
Beginner
avatar

Número de Mensagens : 12
Idade : 25
Localização : Porto
Sou fã desde: : 2007
Data de inscrição : 04/07/2012

MensagemAssunto: Se eu fosse um dia o respirar -Capitulo 2- We are Young   Ter Jul 10, 2012 11:32 pm

Capitulo 2- We are young, Tonight.



"Tonight
We are young
So let's set the world on fire
We can burn brighter
Than the sun"



______

Tom (POV)

Estranho, o carro do Bill está na garagem, provavelmente deve estar mal disposto no quarto.
Scotty estava enroscado no seu cobertor, apenas lhe acomodei a cabeça e sorri, subi as escadas e deparei-me com Bill no corredor, olhei-o:
-Então Bill? sais-te do Club sem me avisar? fiquei preocupado, estás bem? que aconteceu?- simplesmente as perguntas não paravam de sair da minha boca.

Bill olhava-me então em tom de malícia e eu fiquei sem entender onde ele queria chegar.

Bill (POV)

Ouvi os seus passos e posso jurar te-lo ouvido sorrir antes de pisar a primeira escada, por fim vi o seu corpo em minha direcção.

Meu irmão sempre me deixou de certa forma curioso, seria ele mesmo capaz de fazer todas as coisas que ele diz farei com uma mulher na cama?

-Tom?- Vem até meu quarto, vem?


Ele seguiu-me mas percebi a expressão confusa no seu rosto,

quando abri a porta do meu quarto, tudo sumiu como um sonho, ela já não lá estava, e tudo o que restava era novamente um papel, peguei-o


"è fácil o coração deixar de bater quando percebemos que a pessoa que para nós é perfeita, afinal é igual a todos os outros. Bill iludiste-me , disses que "Na sua sombra eu poderia brilhar", mas ias usar me como um brinquedo... entende que a mulher tem corpo, mas também tem alma, foi a maior desilusão da minha vida."

Como fui ridículo, como deixei o prazer levar a minha razão? A mulher que amo fugiu entre os meus dedos...
Além de ridículo senti todo o meu corpo desvanecer perante os olhos do meu irmão.

Bill- Saia pf, me deixa sozinho.
-Mas Bill.
-Sai.- Gritei
Tom agarrou-me de imediato o braço: Não me gritas Bill, não tens mais 16 anos, porta-te como adulto que és. acorda! deixa de ser Drama Quenn, ok?
Então beijei o meu irmão, sentia agora a solidão partir, não sei o impulso foi mais forte que eu, so queria que ele parasse de gritar comigo, queria que ele me entendesse sem ele lhe explicar.
Tom não me parou, subiu a mão para o meu pescoço, mas as suas mãos robustas puxaram o meu cabelo:
- Estas LOUCO? Bill que se passa contigo? perdes-te completamente a noção do ridículo? anda, tu estás bêbedo- puxou-me apesar da minha contestação, deixou o meu corpo branco cobrir-se por uma agua gelada que me fez sentir todos os cantos do meu corpo, tremia, olhei o meu gémeo, sussurrando:
- Ela não foi minha !

_________________________
O que Bill não sabia era o que tornava a história daquela mulher mais do que um pesadelo, e Bill era agora a sua ultima esperança de ter a felicidade,ela procurava nele : o ar para respirar
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
FantasyTrue
Beginner
Beginner
avatar

Número de Mensagens : 12
Idade : 25
Localização : Porto
Sou fã desde: : 2007
Data de inscrição : 04/07/2012

MensagemAssunto: Se eu fosse um dia o respirar -Capitulo 3   Ter Jul 10, 2012 11:33 pm

"Ich wollt dir alles anvertraun
Warum bist du abgehauen
Komm zurück
Nimm mich mit"


Capitulo 3- Ich schaff's nicht ohne dich

Sobressaltado levantei as costas dos lençóis e a minha respiração estava acelerada, tentei manter-me vivo, senti o suor cai a minha face, olhei de imediato para o lado , e lá estava ela, tudo havia sido um pesadelo, e a minha mente transportou -me para outro momento.

*FlashBack*

Ela acomodou-se no sofá, mostrando o seu corpo, a vergonha entre nós não existia, apenas o fogo que nos queimava, eram chamas de paixão, e queríamos exprimir este sentimento ao máximo e estamos a fazê-lo.
Estávamos a ser um do outro.

Volto a aproximar-se, ainda de salto alto, e por estranho que pareça, aquele corpo desnudado com o contraste dos sapatos provocava em mim uma leve excitação.

Acariciei seu rosto e peço com os olhos para ela me deixar retirar a sua máscara.

As minhas mãos deslizam como duas penas entre suaves rios de seda, como ela era perfeita, os seus olhos transmitiam confiança e isso deixava-me confortável.

Não escondeu o rosto, e a pequena cicatriz que tem no pescoço, disfarçado com uma tatuagem, beijei-a , como se a quisesse proteger de quem a magoou.
Ela agora seria minha, e o meu coração pediu que fosse para sempre.

Peguei-a ao colo,
deita-a sobre os lençois e beijei todo o seu corpo, o seu odor percorria agora a minha alma e fazia de mim o seu perdedor, como amar era uma insanidade tão lúcida.


Olhei-a , senti que a minha alma precisava de saber o porque de ela estar aqui, perante mim, o porque de me procurar.

passei a mão pelos seus cabelos:

- Eu sou o Bill - sorri, senti-me ridículo.

Ela sorriu de volta, e meus olhos por instinto não deixaram se olhar o seu sorriso até desaparecer.

-Joan- ela sussurrou.
Então eu a abracei, por agora era só o que necessitava saber, aninhei nos na cama, ela parecia confusa, e eu sabia porque.Olhei-a:

-Quero dormir contigo nos meus braços, tenho urgência em sentir-te perto- fechei os olhos e passei a minha mão no seu rosto, e memorizei cada traço, cada textura,- teremos tempo para demonstrar o que sentimos- teremos a vida toda, pensei .

Ela salvou-me da solidão em que estava, quero que tudo seja perfeito, que tudo seja meu e teu, talvez o mundo.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
FantasyTrue
Beginner
Beginner
avatar

Número de Mensagens : 12
Idade : 25
Localização : Porto
Sou fã desde: : 2007
Data de inscrição : 04/07/2012

MensagemAssunto: Se eu fosse um dia o respirar -Capitulo 4- Who you are   Ter Jul 10, 2012 11:35 pm

Se eu fosse um dia o respirar-Capitulo 4- Who you are


"Don't lose who you are in the blur of the stars
Seeing is deceiving, dreaming is believing
It's okay not to be okay
Sometimes it's hard to follow your heart
Tears don't mean you're losing
Everybody's bruising
Just be true to who you are"
[/color]

_____________________________________


Bill's (POV)

Como ela era angelical, revolta no seu sono profundo, desviei a minha atenção daquele corpo macio e quente, os meus pés tomaram contacto com o chão, caminhei para o banheiro, abri a agua que saia quente, harmonizador.

Voltei a sentir o seu perfume no quarto e peguei-a nos meus braços, quando os seus olhos abriram vi que não eram cor de mel, mas sim de um azul que me inundava num paz abrasadora, tive a certeza que a queria ao meu lado, o seu olhar dizia-me o mesmo, caminhei para a banheira, beijei seus cabelos:

-Bom dia : ) - sorri como se esperasse o mesmo em retorno.
-Bom dia Bill- passou a mão no meu rosto
- Dormis-te bem?
- como não haveria de dormir- sorriu, por fim- se passei a noite a olhar-te, como és belo a dormir - senti suas bochechas rosarem e sorri de imediato, deixando-a pisar o chão.
passei minhas mãos em seus braços, queria ter a certeza que não estava sonhando.
- Joan- sussurrei- parece loucura, mas eu amo-te- continuei- eu amo-te....eu amo-te.
e os seus lábios tocaram os meus, estavam desesperados por aquele toque, pelo seu sabor.

Lentamente retirei a minha t-shirt do seu corpo, encostei-a a mim, sentindo suas curvas, as minhas roupas desapareceram para o chão , e saboreamos a agua quente da banheira, ficamos deitados em silencio por algum tempo, acho que ambos pensávamos no que viria a seguir, passei a ponta dos meus dedos por suas costas, sentindo uma textura invulgar, os seus olhos mudaram de expressão, mas nada poderia estragar este momento, beijei suas mãos
ela levantou-se perante mim e puxou-me, o meu corpo empurrou-a contra a parede fria e assim tomei seus seios na minha boca ao que ela respondeu arfando de prazer e como a ver assim me dava gozo,ela puxou meus cabelos mas eu não me permiti e desci seu corpo, beijo seu umbigo e minha mão segue caminho, ela seria minha, acariciei o seu intimo, não era nada de novo para mim, mas tudo me parecia diferente.

Os meus dedos húmidos pela agua facilmente se introduziram dentro dela, os gemidos ecoaram a casa, ela gemia por mim, desejava-me tanto quanto eu,

a minha língua percorreu o seu clitóris ,meus cabelos foram puxados com força e saiu de sua boca como um grito, o seu sabor era agora o meu.

levantei meu corpo, como me sentia no auge da minha excitação, ela sentiu o mesmo, pegando com suas mãos pequenas o meu membro, arrepiei-me com seu toque, movimentou sua mão, sentia o seu olhar repousado nele, mas não sentia vergonha.
Massajava seus seios com desejo, e minha língua fez o resto para que ela voltasse a gemer.

Olhou nos meus olhos:

- quero ter-te na minha boca.

descendo mordia minha pela, por fim agarrando a base do meu pénis, mete-o na boca, fiquei zonzo, como se por mim um furacão tivesse passado.

os meus impulsos perderam o controle, peguei seus braços e puxei-a para mim, ela sorriu, tinha cara de safada.

rodou seu corpo e levantou uma perna rodeando a minha cintura, com suas próprias mãos introduziu o meu membro quente e completamente erecto dentro dela, como era bom senti-la, lentamente retirei-me dentro dela e deitei-me, senti ser novamente engolido pela sua intimidade, não controlei o gemido , seus cabelos roçavam meu peito, eu encarei seus seios enquanto ela se mexia sobre mim, e a sua velocidade me deixa fora de controle, olhava-me mordendo seu lábio.

- Você e tão grande Bill- gemeu.

Senti o meu corpo em erupção, deitei-a de imediato e continuei num ritmo frenético, segurando um dos seus braços para controlar seu corpo, sussurrando pedi que ela gemesse alto para mim, fez-lo de imediato, ela contorceu-se quando lhe toquei no ponto G, mais algumas investidas eu me viria em seu corpo
Como o meu coração estava acelerado, minha respiração parecia querer sufocar-me, deitei-me junto dela e ela apenas me beijou.

Eu sorri encarando seus olhos, ela levantou-se deixando me relaxar na agua morna, olhei-a:

-Me chega a toalha meu bem.

Minhas lágrimas rolaram o meu rosto, quando Joan voltou de costas para mim, as texturas que mais cedo havia sentido era várias cicatrizes que suas costas albergavam, cicatrizes horríveis que pareciam ser feitas com um chicote e outros com facas.

-Joan- minha voz falhava- que aconteceu - levantei-me pegando seu braço, fazendo seus olhos olharem os meus-com...as tuas costas- sentia-me assustado com o que a sua resposta poderia me magoar.



Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
FantasyTrue
Beginner
Beginner
avatar

Número de Mensagens : 12
Idade : 25
Localização : Porto
Sou fã desde: : 2007
Data de inscrição : 04/07/2012

MensagemAssunto: Se eu fosse um dia o respirar -Capitulo 5- halo   Ter Jul 10, 2012 11:36 pm

"Remember those walls I built?
Well, baby they're tumbling down
And they didn't even put up a fight
They didn't even make up a sound

I found a way to let you in
But I never really had a doubt
Standing in the light of your halo
I got my angel now"

Se eu fosse um dia o respirar-Capitulo 5- Halo


Senta-mo-nos no chão, não senti o frio, porque eu próprio me sentia gelado.
Os olhos dela não tinham expressão, mas ela olhava-me
-Bill- o meu nome foi quase inaudível- a minha história é longa...
- mas eu quero ouvi-la- minha mão pegou seu queixo- eu quero ouvi-la.
Ela passou a mão na minha- A minha mãe me abandonou quando fiz 7 anos, e como é suposto uma criança viver sem mãe? Como era suposto eu sobreviver? Não encontrei rumo, a minha mãe até então vivia com um namorado, o "sustendo"dela, como ela própria dizia, eu chamava-lhe de monstro, porque ele obrigava a minha mãe a prostituir-se e quando eu lhe contei que ele tentou despir-me a minha mãe disse que eu estava louco,mas eu não estava ,não estava- suas lágrimas desceram o seu rosto- não estava....as memorias são tão presentes...

#
-Tira de uma vez a roupa garota!- os gritos ainda estão presentes na minha cabeça, a voz grossa ecoam em mim.
#

- foi a primeira vez que ele me bateu- sussurrou- com um chicote, disse que eu era o seu animal, minha mãe não aguentou com encontrou ele me cortando as costas com uma faca, queria obrigar-me a - suas mãos taparam seu rosto- eu era apenas uma criança Bill.

Abracei-a , o meu corpo apenas tremia:
- Vai ficar tudo bem , eu estou aqui agora, protego-te. Juro.
-Minha mãe achou que sozinha iria ser mais feliz, ela escolheu o meu destino, e como foi triste o meu destino, passei fome, passei sede, mas Bill- Olhou-me- passei a ter o meu destino nas minhas mãos, eu encarei a vida de frente-sorriu- e olha onde estou agora, com a pessoa que amo.
eu te conheci num restaurante, provavelmente não te lembras de mim, entras-te com o teu irmão e eu servi-te, era meu primeiro dia de trabalho...
- deixas-te cair os talheres- completei, como seria possível esquecer, ela estava tão nervosa, nunca vi seu rosto, estava tapado pelo chapéu de sua farda.
- e tu ajudaste-me, quando tocas-te minha mão eu senti-me viva ... quando encontrei a tua música... a minha alma renasceu, ergui-me e reconstruí a minha vida- sorriu- a gravidade esqueceu-me...e eu voei.

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
FantasyTrue
Beginner
Beginner
avatar

Número de Mensagens : 12
Idade : 25
Localização : Porto
Sou fã desde: : 2007
Data de inscrição : 04/07/2012

MensagemAssunto: Se eu fosse um dia o respirar -Capitulo 6- Your attention   Ter Jul 10, 2012 11:37 pm

"I'm trying to tell you
I'm trying to know you
I'm dying to show you
Fighting to get you"



Se eu fosse um dia o respirar-Capitulo 6- Your attention

O violento som do meu telemóvel assombrou aquele momento, peguei-o do bolso das minhas calças que repousavam no chão:

-Hallo, David, was passiert? - respondi de imediato, era o David, amanhã partíamos para outro ponto da turnê-Ja, du hast recht- completei- das wichtigste ist die sicherheit der Fans und unserer, natürlich. - desliguei.
-Amanhã partes a que horas- passou a mão no meu rosto
-Não iremos partir, na verdade. Alguns dos pavilhões que iamos atuar não estão em condiçoes para assegurar a segurança das fãs, adiamos a tour durante um mês.... já sabes o que isso significa? que me vais aturar muito - Sorri.


#Foi o mês mais perfeito da minha vida#
-FlashBack-

O sol brilhava tão intenso sobre a sua pele, como era pálida, mas a sua beleza era revelada por isso mesmo, beijei o seu ombro, a minha língua percorreu as linhas do seu pescoço, tínhamos vivido as primeiras semanas do nosso amor e eu preocupava-me em afastar os seus medos, os medo do homem que a deixou sem infância.

Ela abriu os olhos, acordara, eu continuei a lamber o seu pescoço, adorava provoca-la e vê-la ceder a mim, as minhas mãos percorreram a sua cintura, encontrando o seu intimo, não a toquei e de imediato ela suspirou, mas o suspiro foi curto seguido de um grito , quando a penetrei sem avisar, os meus cabelos foram puxados e as suas costas roçavam o meu peito, pus a minha mão sobre sua boca abafando os gritos de prazer, o meu membro encaixada perfeitamente nela e eu sabia o quanto ela queria sentir-me, gemia ao seu ouvido de forma suave.

virei o seu corpo para a cama, ficando com as costas viradas para mim, voltando a entrar nela, agarrei os seus cabelos e voltei a tapar a sua boca, ela revirou os olhos de prazer, sorri.

Movimentava-me lentamente dentro dela, até tocar o seu útero,a minha mão que tocava suas ancas levantou-se dando uma leve palmada no seu rabo, ela gritou, sendo abafado pela minha mão.

Continuei os movimentos dentro dela, ambos chegamos ao auge, arrepie-me e contorci o corpo, gemi pela última vez.


[\]


Mas este mês passou rápido, para ambos.

Exigi que Joan Ficasse durante estes dois meses que iriam fazer parte da tour, na minha casa em Londres, ela acabou por aceitar, até porque Scotty necessitava de ter alguma companhia.


_________________________________________________



Bill segue para a tour, e o pior vai acontecer a Joan.

"Nada fazia prever que ela perdesse tanto sangue, ela pode estar a respirar pela última vez...Lameto"
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
FantasyTrue
Beginner
Beginner
avatar

Número de Mensagens : 12
Idade : 25
Localização : Porto
Sou fã desde: : 2007
Data de inscrição : 04/07/2012

MensagemAssunto: Se eu fosse um dia o respirar -Capitulo 7- Born To die   Ter Jul 10, 2012 11:38 pm

"This is the last time
'Cause you and I
We were born to die"


Se eu fosse um dia o respirar
Capitulo 7 - Born To Die

Joan (POV)

Fazia um mês que Bill tinha partido, meu coração estava dividido em 2 partes:
Felicidade por ele esta a viver o sonho dele
Tristeza por acordar e não ver o sorriso dele.

A casa parece-me enorme agora, tão vazia.

Ele ligava-me todos os dias, hoje ainda não o fez, e a mim me parece que as horas se arrastam, ando pela casa como um fantasma, sem apetite de nada, tudo aqui tem o cheiro dele, tudo aqui ecoam o seu nome, o seu riso, tudo aqui é ele, e eu estou feliz aqui,mas não tão feliz como se tivesse aqui com ele.

Sento-me no sofá, acabo por suspirar, ligo a tv sem muita vontade de a olhar, mas a esperança de poder vê-lo lá, em alguma entrevista ocasional despertou-me atenção, parei no canal nacional de noticias.

As imagens da noticia que esta agora a passar á minha frente é-de assustadoramente familiar, é o orfanato onde cresci, no chão do pátio onde costumava brincar é agora um buraco de terra, fiquei atenta á noticia:

" E o que menos se esperava aconteceu, no Orfanato local foi encontrado um corpo, especula-se que há mais de 10 anos aqui enterrado, o corpo foi identificado como sendo feminino, não tem família com que as autoridades pudessem contactar, mas deixamos aqui uma foto da mulher que sofreu este crime ultrajante"


O meu corpo deixou de ouvir, de estar presente...
minha mãe, minha mãe era aquele corpo, a mulher que procurei toda a minha vida para lhe dizer que tinha meu perdão estava a mais de dez anos em baixo do chão que tantas vezes pisei em criança, as lágrimas não tinham medida no meu rosto, mas....a revolta tomou conta de mim,aquele monstro destruiu a minha família e matou a minha mãe, tenho a certeza que foi ele o culpado pela morte de minha mãe...ele não merecia viver,... não pensava direito... precisava de Bill para ficar sóbria.

Levantei-me, a custo, minhas pernas ainda tremiam, não sentia o chão, julguei que ia desmaiar ali mesmo, mas mantive-me forte, saí deixando a porta fechar-se atrás de mim, queria caminhar sem destino, como toda minha vida fiz.

a noite já pesava, e apenas as criaturas da noite se ouviam, caminha pela estrada, não sabia onde estava, não me importava.



Minha boca foi tapada, as mãos eram fortes e calejadas ....eu senti aquilo algures em minha vida...


era ele...o monstro...


ele voltou...

tem-me em suas mãos...


Bill, onde estás...


eu preciso de ti....



eu preciso de ti....
o meu pensamento corria desesperado.



" Eu e tu...nascemos para morrer" - foram as ultimas palavras que ouvi, olhei sua cara...era ele...o barulho de uma pedra a bater a minha cabeça e a dor frenética que me provocou ....foi a ultima coisa que me lembro....
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Emma.
Beginner
Beginner
avatar

Número de Mensagens : 23
Idade : 23
Localização : Damaia
Membro preferido: : Tom Kaulitz.
Música/Video : Automatic. Love is dead. Forgotten Children. Monsoon. Scream. Reden.
Sou fã desde: : 2008.
Data de inscrição : 04/03/2012

MensagemAssunto: Re: |se eu fosse um dia o respirar...| Fan Fic ++18   Dom Jan 20, 2013 12:54 am

Gostei imenso, estou ansiosa para ler mais, posta maaais! :DDD
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Hellly
Forever Addicted
Forever Addicted
avatar

Número de Mensagens : 207
Idade : 26
Localização : Porto
Membro preferido: : Bill Kaulitz
Música/Video : TODAS!!!
Sou fã desde: : 2007
Data de inscrição : 12/07/2009

MensagemAssunto: Re: |se eu fosse um dia o respirar...| Fan Fic ++18   Dom Jan 27, 2013 8:29 pm

Uau, fenomenal! Ao primeiro parecia que essa mulher iria comer o cerebro do Bill só de desejo,mas depois ficou mais profunda. A forma que mais me toca é o teu vocabulário, quando ele expressa o amor louco que sente por ela. E a história dela? Bem chocante, e doi de pensar em como ela sofre,as cicatrizes... E agora que o monstro voltou espero que fique tudo mais emocionante!

Continua sim? Fiquei empolgada!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: |se eu fosse um dia o respirar...| Fan Fic ++18   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
|se eu fosse um dia o respirar...| Fan Fic ++18
Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» Se eu fosse um dia o respirar - FF +18
» E se não fosse o Mike Portnoy?E se fosse o John Myung?
» Cliff Burton
» DUVIDAA SOBRE A GAROTA IDEAL DO BILL KAULITZ:
» Imagine se fosse seu inimigo hehe

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
 :: Imagination Area :: FanFiction [+18] e de TwinCest-
Ir para: