Bem vindos/as ao THArmyPT :]
Se gostas de Tokio Hotel e queres estar em contacto com as fãs,então aqui é o sitio certo para conviveres com tais ^^
Se ainda não estás inscrita,de que estás á espera? Faz já o teu registo e diverte-te Very Happy
Se já estás registada,faz o teu Log in e Live every second Razz

A Administração.



 
InícioPortalFAQBuscarRegistrar-seConectar-se

Compartilhe | 
 

 A Tentação do Pecado

Ir em baixo 
Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4  Seguinte
AutorMensagem
vampirinha kaulitz
Forever Addicted
Forever Addicted
avatar

Número de Mensagens : 318
Idade : 25
Localização : onde o bill estiver eu estou com ele.
Membro preferido: : bill
Música/Video : rette mich/don´t jump
Sou fã desde: : 15 de junho de 2007
Data de inscrição : 11/01/2009

MensagemAssunto: Re: A Tentação do Pecado   Dom Dez 06, 2009 11:49 pm

eu quero saber como é que o bill vai reagir.
aposto que se vai esfular todinho so para tentar nao cair na tentaçao.
enfim. continua.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Hellly
Forever Addicted
Forever Addicted
avatar

Número de Mensagens : 207
Idade : 25
Localização : Porto
Membro preferido: : Bill Kaulitz
Música/Video : TODAS!!!
Sou fã desde: : 2007
Data de inscrição : 12/07/2009

MensagemAssunto: Re: A Tentação do Pecado   Seg Dez 07, 2009 1:17 am

este capitulo é especialmente e exclusivamente dedicado para a Vampirinha Kaulitz, a minha leitora assidua q eu adoro mt!







Ela
olhou-se mais uma vez no espelho, não conseguia acreditar na imagem que via á
sua frente. Aquela mulher linda não podia ser ela. Com um vestido azul curto e
sapatos de tação alto preto. Com uma maquilhagem leve onde realçava os seus
olhos azuis e o seu cabelo preto solto que caia até ao meio das costas. Custava
acreditar, mas era ela mesmo.



-
Agora sim vais ver o que é tentação Bill.



Desceu
as escadas e dirigiu-se para a cozinha. Sentia o seu coração bater
freneticamente, mas ganhou coragem e entrou na cozinha.



Bom
d... – Começou Tom.



Bill
olhou para ela, só podia estar a ter uma visão. Nicole queria matá-lo? Só
podia! Ela estava linda, ainda mais linda do que sempre foi. E quando ela abriu
um sorriso para ele, parecia que lhe faltava o ar. Estava no paraíso. E
gostava.



-
Bom dia Bill... – Ela disse sedutoramente.



Bill
deixou cair a colher na malga do leite que espirrou pela camisola dele toda.



-
B-b-bom d-di-dia. – Respondeu gaguejando.



Ela
passou a frente dele deixando o perfume no ar. Adorava sentir o perfume dela
sempre que esta passava por ele. Não conseguiu mover-se por longos segundos,
estava enfeitiçado com a imagem dela na sua frente. E mais do que nunca
desejava-a. Queria-a tanto que até as suas veias pulsavam pelo desejo que
sentia. Queria pegar nela ao colo e fazer amor com ela bem ali naquela mesa. Por
Deus como ela era linda!



-
Bill! – Chamou Tom.



-
Sim?



-Vais
continuar ai? Se não te fores mudar agora vais chegar atrasado.



Levantou-se
e subiu para o seu quarto.



Conseguiu,
Bill tinha ficado sem reacção quando a viu, perdeu a fala assim que falou com
ele. E ainda estava a começar. Bill iria provar o sabor do pecado e descobrir a
tentação que ela podia ser. Iria desejá-la a todos os segundos da sua vida e
cair na mão dela rapidamente.



-
Estou sem palavras... – Disse Tom. – Tens a noção do quãolinda estás?



Nicole
sorriu.



-O
meu irmão teve a sorte de encontrar alguém como tu. É só uma questão de tempo
para ele abrir os olhos.



-
Como eu digo, o teu irmão apenas vai dar valor ao que tem depois as perder.



-Ele
pode mudar... – Insistiu Tom.



-
Eu entendo que estejas a defender o teu irmão, mas ele vai ter que sofrer muito
e mostrar que mudou para me ter de volta.



Saíram
os dois para a garagem. Bill apareceu atrás dela e ficou a vê-la caminhar.
Imaginou-se a caminhar ao lado dela com o braço na sua cintura como se Nicole
lhe pertencesse.



-
Bill! – Falou Tom de novo.



Ele
despertou e entrou no carro para buscar Kate.



Nicole
soltou um pequeno sorriso, como era bom ser desejada pelo homem que mais amava.
Porém, ele não era dela. E isso fazia com que as feridas se abrissem e a raiva
crescesse no peito dela.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
vampirinha kaulitz
Forever Addicted
Forever Addicted
avatar

Número de Mensagens : 318
Idade : 25
Localização : onde o bill estiver eu estou com ele.
Membro preferido: : bill
Música/Video : rette mich/don´t jump
Sou fã desde: : 15 de junho de 2007
Data de inscrição : 11/01/2009

MensagemAssunto: Re: A Tentação do Pecado   Seg Dez 07, 2009 1:22 am

oh tao lindo
adorei mesmo
parti me a rir com a reacção do bill.
agora e que vao ser elas.
eu tambem te adoro muito querida
obrigado por me teres dedicado o capitulo
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Hellly
Forever Addicted
Forever Addicted
avatar

Número de Mensagens : 207
Idade : 25
Localização : Porto
Membro preferido: : Bill Kaulitz
Música/Video : TODAS!!!
Sou fã desde: : 2007
Data de inscrição : 12/07/2009

MensagemAssunto: Re: A Tentação do Pecado   Ter Dez 08, 2009 1:07 am

Assim
que saiu do carro, viu os olhares postos nela. Podia sentir o desejo e a
luxuria nos olhos de cada rapaz e o espanto e a inveja nos olhos de Kate.



Kate
viu Nicole e não quis acreditar, todos estavam presos nela, Bill estava preso
nela. A fúria tomou conta dela, pegou na mão de Bill e disse:



-
Vamos para dentro. Estou com frio.



Ele
não sentiu Kate nem ouviu a voz dela. Nicole invadia-lhe os pensamentos e fazia
com que respirasse apenas por ela.



Nicole
parou ao ver o cartaz colado na porta do bar. Raparigas que queriam formar uma
coreografia para a festa de encerramento das férias de Verão e ão começo de um
novo ano lectivo. Dançar sempre fora das coisas que mais gostava de fazer, e
depois, não iria perder a oportunidade de fazer Bill subir as paredes.



Foi
ao ginásio inscrever-se nas audições e voltou para a sala. Sorriu assim que viu
Bill sentado. Aproximou-se do lugar vazio ao lado dele e perguntou:



-
Importas-te que me sente ao teu lado?



-
C-claro que não. – Respondeu.



Observou-a
a sentar-se ao seu lado e a cruzar as pernas, aquilo não podia estar a
acontecer. O que diabos ela queria fazer com ele? Sentiu a sua excitação a
querer sair das calças, tinha que se controlar. Estava numa sala de aula.



Ela
não quis acreditar no que tinha visto, Bill estava com uma erecção. Ela tinha
feito com que ele se excitasse apenas por se sentar ao seu lado. E então ficou
surpreendida com o desejo de querer sair dali com ele e poder satisfaze-lo.
Percebeu então que naquele jogo não só ele tinha que lutar como ela também
tinha que se controlar.



Bill
escondeu a erecção antes que ela notasse, mas nenhuma posição om deixava
confortável. Seria possível que aquela rapariga era tinha vindo á terra para o
torturar?



Os
minutos prolongavam-se, Bill estava atento á presença dela, e quando ela cruzou
de novo as pernas ele ficou estático a olhar para elas. Sonhava passar as suas
mãos nelas e sentir a pele macia e quente...



-
Bill? Está tudo bem? – Perguntou Nicole.



E
nesse momento, Bill caiu da cadeira ficando a ser observado por todos naquela
sala.



-
Se precisares de sair estás á vontade. Não quero que interrompam a minha aula.
– Disse o professor.



-
Não. Não é preciso, eu estou bem.



Ao
levantar-se deparou-se directamente com as pernas dela, percorreu-as com o
olhar. Como era difícil resistir.



-
Estás bem? – Perguntou ela.



-
Sim. Estava distraido.



Nicole
sorriu, estava desesperado, ela podia ver isso.



No
fim da aula, Nicole juntou-se com Anne nos intervalos.



-
Isso é que foi uma mudança! – Exclamou Anne.



-
Senti que precisava mesmo de mudar.



-
Bom, eu acho que estás melhor assim. Estás mais... Nem tenho palavras para
descrever.



Nicole
sorriu.



-Obrigada!



-
Nicky! – Ouviu chamar por ela.



Era
John. Nicole soltou um suspiro, não gostava de tanta atenção sobre ela.



-
Oi John. – Cumprimentou-o com um sorriso. – Tudo bem?



-
Sempre. Oi Anne!



-
O-Olá- Gaguejou Anne. Nenhum rapaz falara com Anne antes. Ainda por cima um
rapaz lindo como John.



-
Nicky, eu estava aqui a pensar... se... Querias sair comigo neste
fim-de-semana...



A
primeira resposta que lhe passou pela mente foi “não”, mas depois viu Bill a
rondar o lugar com cara de poucos amigos e mudou de ideias. Sorriu mais uma vez
e respondeu:



-
Claro!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Hellly
Forever Addicted
Forever Addicted
avatar

Número de Mensagens : 207
Idade : 25
Localização : Porto
Membro preferido: : Bill Kaulitz
Música/Video : TODAS!!!
Sou fã desde: : 2007
Data de inscrição : 12/07/2009

MensagemAssunto: Re: A Tentação do Pecado   Ter Dez 08, 2009 1:07 am

espero q gstem! nao sei se amanha posto, vou ter teste.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
vampirinha kaulitz
Forever Addicted
Forever Addicted
avatar

Número de Mensagens : 318
Idade : 25
Localização : onde o bill estiver eu estou com ele.
Membro preferido: : bill
Música/Video : rette mich/don´t jump
Sou fã desde: : 15 de junho de 2007
Data de inscrição : 11/01/2009

MensagemAssunto: Re: A Tentação do Pecado   Ter Dez 08, 2009 1:14 am

e hoje que te mato mesmo.
ta tao linda
quero mais
e nao voltes a parar nessas partes
ainda vou ter algum ataque com tanta ansiedade.
mas va la quero mais e o mais rapido possivel.
beijos adoro-te meu amor.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Fofy_Kida
Freheit 89
Freheit 89


Número de Mensagens : 89
Idade : 25
Localização : Porto
Data de inscrição : 31/03/2009

MensagemAssunto: Re: A Tentação do Pecado   Dom Dez 13, 2009 3:26 pm

Oi ta linda continua... bjs
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Hellly
Forever Addicted
Forever Addicted
avatar

Número de Mensagens : 207
Idade : 25
Localização : Porto
Membro preferido: : Bill Kaulitz
Música/Video : TODAS!!!
Sou fã desde: : 2007
Data de inscrição : 12/07/2009

MensagemAssunto: Re: A Tentação do Pecado   Ter Dez 15, 2009 11:10 pm

John
sorriu abertamente, não podia acreditar, ela tinha dito sim.



Nicole
sorria porque motivo? Era a pergunta que Bill fazia na sua mente. Será que
elatinha aceitado sair com John? Será que ela sentia algo por ele? Toda aquela
fúria estava a deixá-lo nervosa, sentia que tinha de bater em alguma coisa.



-
Bill? Tu por acaso estás a ouvir-me? – Maldita nojenta que distraia o seu
namorado, maldita nojenta que roubou a sua popularidade, maldita nojenta que não
parava de se meter no seu caminho!



-
O quê? – Disse Bill olhando para ela. E depois de ver o olhar chateado dela
respondeu. – Desculpa, mas eu tenho que ir embora. Sabes como é, trabalhos e
mais trabalhos.O meu professor de Literatura Inglesa mandou um trabalho
complicado e preciso de me concentrar nele.



Bill
deu-lhe um beijo rápido e virou as costas. Tinha de saber mais, quando sairiam,
a que horas e para onde iam.



Quando
viu John a caminhar para o parque de estacionamento, correu e meteu conversa
como se nada fosse.



-
Então, tiveste sorte?



-
Ela é mais que linda! – Bill bateu com os dentes e ouviu calado.



-
Vamos jantar no sábado há noite.



Fúria
passou pelo corpo dele, apenas pensava em esmurrar a cara de John e dizer para
ficar longe dela.



-
Que bom! A que restaurante vais levá-la?



-
Ao melhor da cidade! – Bill sabia qual era, John sempre levava as raparigas que
convidada para sair no mesmo restaurante.



-
Ouve John, eu não me quero meter mas, Nicole é uma amiga minha e não quero
vê-la magoada. Portanto, pensa bem no que vais fazer.



-
Eu não vou fazer nada que ela não queira.



-
Bill? – Ele parou no momento em que ouviu aquela voz perfeita atrás dele.



-
Sim?



-
Tom disse-me que ias para casa agora... Como as nossas aulas acabaram, será que
me podias dar boleia?



-
Claro! – Ele sorriu, pela primeira vez em semanas, Nicole tinha vindo procurar
por ele. E ainda teria oportunidade de desfrutar a companhia dela.



-
Adeus John! – Disse ela num tom animado demais para o gosto de Bill.



Bill
abriu a porta para ela como fez no primeiro dia em que se conheceram.



-
Que cavalheiro! – Exclamou Nicole.



Bill
sorriu para ela e respondeu:



-
Somente para quem merece.



Aquela
troca de olhares era sempre comum entre eles, umas vezes olhares ternurentos,
outra vezes de fervura. Bill a queria mais do que o seu corpo, e isso já estava
a ficar estranho, se era apenas atracção fisica, porque se sentia tão preso
nela? Aquela mulher mexia com ele de maneiras inexplicáveis, deixava-o louco
apenas com um olhar.



-
Nós podemos ver um filme quando chegarmos. O que achas? – Perguntou. Não queria
separar-se dela tão ceda, precisava de estar na sua companhia, não sabia porquê
essa estranha necessidade.



-
Claro. Podemos ver uma comédia. Apetece-me rir hoje.



Nicole
não queria ver um romance com ele, poderia não aguentar e cair na tentação
novamente. Já era tentação demais estar naquele sofá apenas com ele. Porém, não
teve forças de recusar o convite. Não estava preparada para o deixar naquele
dia.



Assim
que o filme começou, Bill olhou de lado para ela e ficou com a boca seca de a
ver aninhada no sofá com o cabelo de lado expondo o seu pescoço perfeito. Viu-a
a remexer-se e o seu vestido subiu ligeiramente mostrando as suas pernas
lindas.



-
Hum... Eu vou á cozinha beber um pouco de água.



Ela
não estava a provocá-lo, não tinha intenções disso. Mas ao ver que mesmo sem
querer chamar a atenção dele, Bill sempre acabava por olhar para ela, sorriu.
Estava a tudo a correr como ela queria.



Ele
voltou parecendo mais relaxado. E só ele sabia como lutou o bastante para não a
beijar. Sentia tanto desejo dentro dele que até fazia doer o coração. Mas
porque tinha que acontecer com ele? Pensava Bill.



-
O filme foi óptimo! – Exclamou Nicole ainda a rir-se das últimas cenas.



-
Foi mesmo!



O
silêncio caiu sobre eles. Bill encarava-a nos olhos, tal como ela o olhava.



-
Nicole... Eu...



Bill
ia desculpar-se por tê-la magoado, queria uma segunda chance, uma nova
oportunidade de fazer as coisas certas. Quem sabe eles não podiam ser grandes
amigos?



-
Oi meus amores! – Disse Simone entrando na sala.



Mas
tinha sido interrompido e a sua coragem desvanesceu-se.



-Nicole!
Estás tão linda! – Exclamou ao vê-la.



-
Obrigada Simone!



Nicole
subiu para o seu para tomar o seu banho relaxante.



-
Então Bill? Vais dizer-me o que tanto esperas? – Começou Simone.



-
O quê? Não percebo onde queres chegar mãe.



-
Querido, eu não sou cega. Toda a vez que olhas para ela, a casa parece que vai
pegar fogo!



Bill
levantou-se num pulo e disse:



-
Eu não gosto dela! Nós somos apenas amigas mãe! Eu namoro com a Kate!



E
dito isto ele subiu para o seu quarto. Mas porque toda a gente dizia o mesmo?
Porque todos pensavam que a amava? Ele amava Kate, se assim não fosse não
estaria com ela. Nem mesmo daqueles pensamentos Bill estava seguro. Nem mesmo
quando pensava em Kate, deixava de sentir o coração a pulsar por Nicole...



Nessa
noite, Bill estava inquieto e muito impaciente. Tinha sido um dia
surpreendente, mas não era por isso que dava voltas na cama sem conseguir
dormir. Ele sabia do que precisava. Levantou-se e saiu do quarto, abrindo a
porta do quarto de Nicole lentamente. Ao ver que ela dormir, aproximou-se da
sua cama e reparou que dormia profundamente. Deitou-se muito cuidadosamente ao
lado dela admirando o seu rosto angelical. Ela parecia um anjo, Bill pensava.
Sorriu e levou uma mão á bochecha dela, sentiu a sua respiração acelarar um
pouco e depois ouviu-a sussurrar:



-
Bill...



Por
momentos o coração dele parou, ela estava a sonhar com ele? Ou ela acordou e
viu ali?



-
Bill... – Ela sussurrava de novo.



Não,
ela estava a sonhar com ele. Bill sentiu uma felicidade enorme ao ouvir o seu
nome. Era como se o coração dele batesse duas vezes mais que o normal. Sem
conseguir controlar-se, Bill aproximou o seu rosto do dela e beijou os seus
lábios suavemente.



Nicole
remexeu-se um pouco mas depois tranquilizou. Ele ficou ali mais algum tempo a
observá-la, até que ela se virou de costas para ele e Bill abraçou-a, pondo um
braço ao redor da cintura dela e deixou-se adormecer.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Hellly
Forever Addicted
Forever Addicted
avatar

Número de Mensagens : 207
Idade : 25
Localização : Porto
Membro preferido: : Bill Kaulitz
Música/Video : TODAS!!!
Sou fã desde: : 2007
Data de inscrição : 12/07/2009

MensagemAssunto: Re: A Tentação do Pecado   Ter Dez 15, 2009 11:11 pm

por hoje é só...
não sei quando vou voltar a postar, pois a ficha do meu pc avariou e tenho q comprar outra nova... o problema é q elas sao caras...

espero q gstem e comentem ok?
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
vampirinha kaulitz
Forever Addicted
Forever Addicted
avatar

Número de Mensagens : 318
Idade : 25
Localização : onde o bill estiver eu estou com ele.
Membro preferido: : bill
Música/Video : rette mich/don´t jump
Sou fã desde: : 15 de junho de 2007
Data de inscrição : 11/01/2009

MensagemAssunto: Re: A Tentação do Pecado   Qua Dez 16, 2009 1:13 am

olá amor
amei
continua
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Hellly
Forever Addicted
Forever Addicted
avatar

Número de Mensagens : 207
Idade : 25
Localização : Porto
Membro preferido: : Bill Kaulitz
Música/Video : TODAS!!!
Sou fã desde: : 2007
Data de inscrição : 12/07/2009

MensagemAssunto: Re: A Tentação do Pecado   Dom Dez 20, 2009 11:31 pm

“Que sonho mais estranho!”, concluiu Nicole ao levantar-se da cama. Tinha-se sentido bem demais naquela noite, como se tivesse dormido nos braços de um anjo. Sorriu, “talvez anjos existem mesmo”, pensou. Ela tocou os seus lábios e suspirou, jurara que tinha sentido lábios quentes e macios beijando os seus. Sorriu mais uma vez, ou anjos existiam mesmo ou então estaria a ficar maluca.
Correu escadas abaixo e entrou na cozinha sorridente.
- Bom dia! – Exclamou.
- Que alegria logo pela manhã! – Disse Tom.
- Dormi estranhamente bem.
Bill sentiu o seu coração amolecer e teve uma enorme vontade de sorrir, porém não podia dar-lhe a entender que tinha dormido nos braços dele quase a noite toda.
- Será que anjos existem? – Perguntou Nicole.
- Eu não acredito em anjos. – Disse Tom.
- Pois eu acredito. – Falou Bill.
Como poderia não acreditar se a tinha visto dormir que nem um anjo?
- Eu começo a acreditar também. – Respondeu Nicole.
Os dias foram passando, e então sábado chegou. Bill pensava em maneiras de Nicole faltar ao encontro com John, ou então fazer com que John não possa estar com ela. Nicole estava a pô-lo no limite, e se já lá não estava não faltava muito para isso acontecer. Nicole era o pecado que tinha vindo á terra para o atormentar e fazer com que caisse na tentação. Como é que ela podia ser tão linda e provocante? Mas como é que ela se atrevia a provocá-lo saindo com outros?
- Hey! Terra chama Bill! – Falou Tom.
Era fácil saber onde é que o seu irmão gémeo estava com a sua cabeça.
- Sim? O que foi?
- Onde estás com a cabeça?
- Onde está a Nicole? – Perguntou olhando á sua volta.
- Ela acabou de sair. Não te lembras? Ela vai sair com John.
Bill levantou-se num pulo e saiu de casa apressado. Viu-a a sair pelo portão e correu atrás dela. E quando a alcançou agarrou no braço dela e disse:
- Tu não podes sair com ele.
Nicole sorriu, Bill não iria aguentar muito mais, sair com John tinha-o posto no limite. Ele não aguentava vê-la com outros.Mas o melhor ainda não tinha chegado. Ela iria até ao fim com aquele plano.
- Porque não? – Perguntou ela.
Bill não sabia o que responder, não podia sair com John porque a queria inteiramente para ele. Mas ele não ia dizer isso, não ia e não podia.
John parou o carro em frente a Nicole. Bill sentiu a raiva possuir-lhe o corpoe quase a pegou ao colo levando-a para casa.
- A gente se vê mais... tarde... – Ela disse entrando no carro.
Ele viu-a sorrir para John trocando algumas palavras e viu o carro desaparecer ao fim da rua.
- Isto não fica assim. – Bill correu para a garagem e entrou no seu carro. Ele também podia jantar fora, qual era o mal de ir jantar no mesmo restaurante que ela? Coincidências podem acontecer não é?
John saiu do carro abrindo a porta do passageiro para ela. Vendo Nicole naquele vestido preto mostrando as suas pernas estava a deixá-lo ansioso. Queria que aquele jantar passasse rápido para a parte mais interessante.
- Estás linda hoje. – Ele disse para quebrar o silêncio que se tinha imposto.
Ela sentia-se mal, queria dizer-lhe que tinha sido um erro aceitar sair com ele e dizer-lhe que não iria acontecer nada naquela noite. Mas não teve coragem.
- Obrigada. – Acabou por responder.
Sentaram-se ambos numa mesa á beira da janela onde podiam ver a noite linda. Fazia-a lembrar da primeira noite que tinha passado em Magdeburg com Bill. E apesar de saber que não devia, era com ele que queria estar. Se tudo o que fizesse não incluisse o Bill, então tudo lhe parecia errado.
Ambos pediram o jantar, e enquanto esperavam, John ficava mais nervoso, ela não parecia estar a gostar da companhia dele, parecia que estava em outro lugar.
- Estás muito pensativa. O que se passa? – Acabou por dizer.
- Hum? Nada. È que eu não costumo sair para jantar...
John sorriu aliviado, era apenas isso então? Ele podia lidar com isso.
- Não te preocupes com isso... Então, como vai a estadia na casa dos Kaulitz? – Ele tinha que a tirar daquele nervosismo, não gostava de a ver nervosa.
- Está tudo óptimo. Eles são excelentes. – Excepto um claro, concluiu na sua mente. – E tu? O que queres fazer da vida? – Perguntou não querendo fazer daquele jantar uma maçada.
E durante o jantar foi assim, John e Nicole falavam sobre os planos que tinham para o futuro, sorrindo algumas vezes quando caíam no silêncio.
- Parece que o silêncio pode ser divertido ás vezes. – Disse John.
- Pois é... Acontece. – Respondeu Nicole ainda sorrindo.
- Sabias que tens um sorriso perfeito?
Nicole sentiu-se corar, não estava á espera de ouvir elogios naquele momento. Olhou á sua volta e viu um olhar familiar atento na sua direcção. Ele estava encosntado na parede escondido a observá-los o tempo todo. Nicole não sabia que ele seria capaz de os seguir para vigiá-la. Não podia acreditar que ele tinha essa coragem.
- John dás-me licença? Eu tenho de ir á casa de banho.
- Claro!
Ela levantou-se e andou na direcção dele. Assim que ela chegou perto dele agarrou na mão dele e entrou na casa de banho certificando-se de que estava vazia.
- O que estás aqui a fazer? – Perguntou ela bruscamente. – Estás a seguir-me?
- Eu? Não! Não se pode vir aqui também? Eu não tenho culpade que ele te tenha trazido cá. Eu não sabia!
- Conta outra Bill! Tu estás aqui porque não aguentas que eu estejas com outros homens! Admite! Mas queres saber de uma coisa? Tu não tens nada a ver com a minha vida! Eu é que sei com quem saio ou não! – Ela falou furiosa mas ao memso tempo alegre por Bill estar ali e com ciúmes.
Bill sabia que ela tinha razão, ele não podia proibi-la de fazer o que quer que fosse. Porém, o seu ciúme era maior e não conseguia conter-se. Era mais forte do que ele.
- Como eu te disse eu não sabia que vocês iriam estar aqui. – Disse ainda a mentir.
Nicole riu-se e falou:
- Ai não?
Bill viu-a aproximar-se mais dele por causa da raiva que ela sentia, conseguia sentir o perfume dela, ver o quanto ela estava linda naquela noite... Não conseguiu pensar em mais nada, ela era tentadora demais para resistir. E depois ele já estava farto de resistir. Encostou-a á parede beijando-a com fervor. O beijo começou a ficar cada vez mais urgente, a língua de Bill explorava a boca dela querendo sempre mais. Nicole passava as mãos pelos cabelos dele puxando-os levemente passando-as depois pelas costas dele. Ambos queriam mais, tinham esperado tanto tempo por aquilo, queriam matar as saudades que corriam o interior deles. Queriam ser um só novamente. Bill passou a mão dele pela perna dela, reconhecendo a pele quente e macia. Foi subindo até levantar o seu vestido e apertou levemente a nagueda dela. Ele beijava agora o pescoço dela dando pequenas mordidas. Nicole prendeu as suas pernas ao redor da cintura dele enquanto ele descia para o peito dela. Ambas as respirações estavam ofegantes, estavam cheios de desejo. Nicole sabia que o que estava a fazer era errado, não podia cair na tentação, mas estava tão bom... Bill começou a acariciar os seios dela por cima do vestido fazendo-a gemer. Ela desceu as suas mãos para o traseiro dele sentindo as mãos de Bill nas suas pernas novamente subindo cada vez mais, ele estava perto de tocar o sexo dela, mas ambos foram interrompidos quando a porta se abriu.
- Vocês pensam que estam onde? Isto é uma casa de banho pública! Respeito para com as pessoas! – Dizia a mulher chocada com a imagem.
- Desculpe... Nós pedimos imensos desculpas... – Falava Nicole nervosa e envergonhada.
Bill e Nicole ajeitaram-se e saíram da casa de banho enverginhados e ainda com as respirações ofegantes.
- Vai embora! – Disse Nicole antes de voltar para a mesa.
Ela caminhou para a mesa vendo a cara de John impaciente.
- Está tudo bem? Estás corada e pareces um pouco nervosa... – Falou ele quando ela se sentou.
- Hum? Ah! Sim! Está tudo bem! Então, vamos pedir a sobremesa?
- Claro!
Não conseguia acreditar no que se tinha passado há pouco, tivera-o tão perto, mais perto do que nas últimas semanas. Respirou fundo, ainda não estava recomposta com o ataque dele. Sentir a respiração dele contra os lábios dela, sentir o corpo dele colado ao dela, sentir a excitação dele, o toque dele...
Estremeceu quando sentiu uma mão agarrar na mão dela diferente do toque de Bill. Imediatamente ela retirou a mão e disse nervosa:
- Eu acho que... Eu acho que devemos parar por aqui...
John não esperava ouvir aquilo, tinham-se divertido imenso durante o jantar, tinham conversado agradavelmente, o que faltava?
- Mas a noite ainda é uma criança...
- E eu sei exactamente o que queres para esta noite John. Eu não quero o mesmo.
- Eu acho que estás a precipitar-te... Nós podemos apenas conversar normalmente. Não vamos fazer nada que não queiras. – Apesar de não ter tido o que ansiava daquela noite, John não queria deixá-la ir. Era bom conversar com ela, não tinha que ouvir queixas de raparigas mimadas que apenas se preocupavam com o corpo. Nicole era a perfeita companheira, não só para uma noite mas também para toda a vida.
- Tudo bem, mas eu sinto-me cansada. Tive uma semana um pouco complicado e gostaria de ir para casa.
- Ok. Vamos lá então.
John pagou e quando saíram do restaurante deram de caras com Bill. Nicole corou furtivamente e baixou o olhar. Não queria lembrar-se do que se passara momentos atrás, mas era impossível. Todos os momentos passados com ele tornavam-se inesqueciveis.
- Oi John! Que coincidência!
John começava a achar toda aquela perseguição estranha, ela tinha dito a Bill onda a levaria para jantar, tinha-lhe dito que Nicole namorava e ficava chateado quando se falava dela.
- É mesmo... – Respondeu Nicole.
- Bom, eu vou agora para casa, se quiseres eu levo-te. – Disse Bill para ela.
- Não, o John leva-me.
Bill bateu com os dentes controlando-se para não criar uma cena ali. Viu os dois entrarem no carro e de seguida entrou no dele dirigindo-se para casa. Ele não poderia continuar assim, ele tinha namorada! Kate não merecia nada do que lhe fazia, e se lhe contasse a verdade só iria fazê-la sofrer e isso ele não queria. Mas traição já havia cometido, mais do que uma. Traição era algo que ele abominava, e por isso sentia-se um monstro por ter feito tal coisa, mas aquela mulher, aquela tentação era demais para ele. Porque tinha aparecido logo naquele momento?
Deixou o seu carro na garagem e saiu rezando para que ela já estivesse em casa.
E lá estava ela, sentada no sofá com Tom. Relaxou e subiu as escadas, de certeza que Nicole não o queria ver depois do que tinha acontecido.
- Onde te meteste? Estive horas aqui á tua espera! – Refilou Kate quando o viu entrar no quarto.
- Fui dar uma volta. Se me tivesse avisado de que irias estar cá eu não saía.
- Agora eu preciso de autorização?
Bill olhou para ela, não lhe apetecia nada discutir, apenas queria dormir uma noite inteira com o seu anjo.
- Kate eu não vou discutir contigo, estou com dor de cabeça, ok? Se quiseres podes ir embora ou então também podes ficar. Sabes bem que não te vou mandar sair.
Kate mordeu o lábio inferior pela raiva, o seu próprio namorado estava a tratá-la como se ela não fosse ninguém especial. Andava tudo diferente desde que aquela nojentinha apareceu.
- Desculpa meu amor, mas é que tens andado tão distante que eu fico com medo de te perder. – Disse ela mantendo o seu papel de namorada perfeita.
- Não me vais perder, apenas tenho andado cansado, só isso.
Kate pôs-se em cima dele e olhando-o nos olhos disse:
- Sinceramente não sei o que faria se algum dia te perdesse. Eu realmente não sei Bill. – E era verdade, Kate faria qualquer coisa para que ele não a deixasse, faria os possiveis para que Bill nem pensasse em deixá-la.
Beijou-o fugazmente, mas Bill não deu hipótese para explorar melhor o beijo.
- Hoje não Kate.
Ela bufou e deixou-se cair ao lado dele. Nenhum dia ele tinha recusado fazer amor com ela. E Kate sabia de quem era a culpa.
- Eu venho já- Falou saindo do quarto.
Olhou para a sua frente, a nojenta estava naquele quarto. Teria de falar com ela seriamente e avisá-la dos perigos que corria se não se afastasse do seu namorado. Bateu á porta, estava determinada a conseguir o que queria.
Nicole estava nervosa quando ouviu as batidas na sua porta. E se fosse ele? O que lhe dizia? Era capaz de lhe pedir para que não a incomodasse? Porém, ao abrir a porta surpreendeu-se. O que ela queria?
- Nós as duas temos de falar. – Disse Kate entrando no quarto dela.
- Ai temos? E sobre o quê?
- Sobre o meu namorado.
Nicole arqueou uma sobrancelha, ela iria pôr as culpas nela quando era o seu namorado que não lhe era fiel?
- Hum... E o que é que eu tenho a ver com o teu namorado?
- O facto de o quereres afastado de mim para ficares com ele.
Nicole explodiu-se em risos, Kate devia estar a alucinar. Ela não sabia mesmo de nada.
- Kate, eu vou fingir que não ouvi isso.
- Eu sei bem que é verdade! – Ela ripostou.
- E serás que comheces o namorado que tens?
Kate calou-se ao ouvir tal coisa. O que aquela nojentinha estava para ali a dizer? Bill tinha estado com outra?
- Acho melhor calares essa boca. Tu não sabes do que eu sou capaz. Vê se tens cuidado.
E depois disto saiu pela porta e entou novamente no quarto de Bill. Ele já dormia profundamente, Kate observou-o dormir. Era impossível Bill ter feito tal coisa, ele odiava traições, e não se envolveria com Kate se não a amasse certo?
Nicole dava voltas na cama, será que Kate era cega? Ela não conseguia ver o que se passava á frente nos olhos dela?
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
vampirinha kaulitz
Forever Addicted
Forever Addicted
avatar

Número de Mensagens : 318
Idade : 25
Localização : onde o bill estiver eu estou com ele.
Membro preferido: : bill
Música/Video : rette mich/don´t jump
Sou fã desde: : 15 de junho de 2007
Data de inscrição : 11/01/2009

MensagemAssunto: Re: A Tentação do Pecado   Seg Dez 21, 2009 4:54 pm

tinhas que parr aí.
cada vez amo mais a tua fic
continua
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Hellly
Forever Addicted
Forever Addicted
avatar

Número de Mensagens : 207
Idade : 25
Localização : Porto
Membro preferido: : Bill Kaulitz
Música/Video : TODAS!!!
Sou fã desde: : 2007
Data de inscrição : 12/07/2009

MensagemAssunto: Re: A Tentação do Pecado   Ter Dez 22, 2009 12:38 pm

E
mais dias passaram, Kate não tinha dirigido mais nenhuma palavra a Nicole, Bill
continuava a tentar afastar os rapazes dela, observando-a sempre que podia,
desfrutava da companhia dela nas aulas, por vezes apanhava-se distraido a olhar
as pernas dela ou o decote demasiado provocante. Sentia-se enfeitiçado pelo
olhar dela, que por vezes o provocava ou outras vezes trocavam olhares
apaixonados, com um desespero de correrem para os braços um do outro e viverem
momentos tórridos de amor.



John
não mais convidou Nicole para sair, conversavam ás vezes nos intervalos e era
só, passava agora mais tempo com Anne. Estava tão empenhado em Nicole nem notou
a beçeza de Anne.



Nicole
tinha á tarde os ensaio s do grupo de dança, iriam apresentar uma coreografia
no final da semana. As audições tinham corrido na perfeição, tinha adorado ver
Kate ser reprovada e de ver a sua cara de inveja quando Nicole tinha sido
aprovada.



-
Bom, eu tenho de ir. Aproveita a companhia de John, apesar de ter uma mente um
pouco preversa é um bom rapaz.



Viu
Anne corar e seguiu para o ginásio, passando por Bill e Kate que trocavam um
beijo. Odiáva ter que assitir cenas de romantismo entre eles, vê-los de mãos
dadas a passearem pelos corredores quando queria ser ela a fazer isso com ele.



Sorriu,
mas agora ela não ia passar e fazer de conta que eles não existiam.



-
Olá Bill! – Disse numa voz sedutora e mordeu o lábio inferior mostrando no seu
olhar o desejo que tinha por ele.



Bill
engasgou-se e respondeu:



-
O-Olá...



Kate
virou-se para ela olhando-a furtivamente, fazendo com que Nicole se lembrasse
das ameaças de Kate. Sorriu mais ainda e depois virou-se para ela:



-
Olá Kate! Hum... Sexta-feira vai haver festa, nós vamos dançar. Tu vens não é
Kate?



Kate
corou, o que ela pensava que estava a fazer? Ainda por cima a humilhá-la na
frente do namorado!



-
Claro... – Falou batendo os dentes para não armar um escândalo em frente a
Bill. Com aquela nojenta por perto ficava difícil manter o seu papel de
namorada perfeita.



-
E Bill, não podes faltar... Vai ser uma festa daquelas...



E
dito isto acelarou o passo entrando nos balneários das raparigas. Estava
ansiosa para que o dia da festa chegasse, iria fazer Bill subir ás paredes
quando a visse vestida naquela festa e com a sua coreografia.



Ao
chegar a casa, a mãe de Nicole telefonou. Disse que teria uma surpresa quando
chegasse a casa. Ficou a pensar no que seria a tal surpresa, até que chegou a
casa e viu um carro novo estacionado em frente á casa. Não... Não podia ser...
Pegou no telemóvel e telefonou de imediato para a mãe.



-
Diz-me que não verdade... Este carro é meu?



-
Bom, se estiveres a ver um Volvo C30 estacionado em frente á tua casa, então
sim, o carro é teu.



Ouviu
as gargalhadas do pai e depois a sua mãe falou:



-
Nós achámos que estava na hora de teres um carro, uma vez que tens carta.



-
Como vocês sabiam que era este carro que eu queria? – Perguntou animada.



-
Não sabíamos. Apenas pensámos que ias gostar. Mas parece que adoraste.



-
Amei! Obrigada!



-
De nada querida. Desfruta do teu presente!



Desligou
o telemóvel e foi ao seu quarto, onde tinha uma caixinha com as coisas do carro
inclusive a chave.



O
seu telemóvel tocou mais uma vez, era Kelly.



-
Oi meu amor! – Falou.



-
Olá! Boas notícias! Já pedi
transferencia! Amanhã estou em Magdeburg!



-
Espera só até eu dizer ao Tom!



-
Não digas nada! Eu quero fazer uma surpresa.



-
E logo o Tom que adora surpresas!



Bateram
á porta do seu quarto e deu ordem para entrar.



-
Então, sempre vamos tomar café hoje á noite? – Falou Tom.



-
É ele? – Perguntou Kelly ao telemóvel.



Nicole
riu-se e disse:



-
É sim.



-
Ok... Então eu vou desligar... Xau!



-
Xau!



Nicole
desligou o telemóvel ainda a rir-se.



-
Impressão minha ou eu ouvi o meu nome? –
Disse Tom.



-
Não, foi apenas impressão tua.



Tom
viu as chaves do carro e sorriu:



-
Aquele carro estacionado lá fora é teu?



-
Sim. Foram os meus pais que mo deram.



-
Belo carro!



-
Eu sei.



-
Bom, eu estou aqui para te fazer um convite... Depois de tomarmos café, queres
vir até á discoteca? Vai estar lá o pessoal todos.



-
Não sei... Discotecas não é muito a minha onda... – Porém, ao pensar em Bill
maluco atrás dela que nem um cachorrinho abandonado logo mudou de ideias. – Mas
acho que posso fazer uma excepção!



-
Esta é a minha menina! – Disse Tom. – Hum... A Kelly... Quando é que ela nos
vem visitar novamente?



Nicole
sorriu, ele ainda não se tinha esquecido dela.



-
Mais cedo do que o que pensas. – Respondeu.



Tom
deu-lhe um sorriso e deixou-a sozinha para se preparar para sair.



Ela
olhou o seu armário para ver qual dos vestidos iria levar, olhou o último, só o
iria usar na sexta-feira, pois esse era demasiaso provocante e queria Bill no
seu limite. Viu um vermelho e sorriu. Perfeito. Kelly adorava vêla de vermelho,
ficava linda e sedutora até demais. E Nicole queria o olhar de Bill apenas
sobre ela.



Desceu
as escadas e deparou-se com o olhar de Bill sobre ela. Retribuiu-lhe o olhar e
sorriu sedutoramente para ele.



Ele
abriu a boca num espanto, de vermelho! Ficava irresistível de vermelho... Bill
perguntou-se onde iria vestida daquela maneira, mas para onde ela fosse, ele
iria também.



-
Pronta? – Perguntou Tom.



-
Claro.



Bill
agarrou no braço dela e perguntou:



-
Vais para a discoteca? Penseu que esses lugares não eram para ti.



-
Passou a ser! E agora larga-me, não quero chegar atrasada.



Bill
deteu-a mais uma vez mas Nicole conseguiu soltar-se e disse-lhe sorrindo:



-
Tu não tens nenhum poder sobre mim! Eu faço o que eu quiser com quem eu quiser!



Nicole
virou costas e Bill ficou ali parado por algum tempo até sair a correr para a
garagem.



Ao
chegar na discoteca, viu tudo cheio, pessoas a dançar na pista, pessoas num
canto a conversarem, no balcão a beberem, viu Tom sentado num sofá a falar com
uma rapariga... Mas não conseguia ver Nicole. Olhou mais uma vez para a pista
de dança, e lá estava ela. Dançava olhando para ele. Ficou paralisado ao vê-la
dançar de uma maneira tão atrevida que não conseguia nem pronunciar uma frase
coerente. Ele aproximou-se dela colando o seu corpo ao dela e dançando junto
com ela. Ela ia abaixo e acima com ele agarrando no cabelo dele e colando o seu
nariz ao dele. Estava a centímetros de o beijar, mas não lhe daria esse prazer.
Desviou o seu rosto para o lado e beijou-o no pescoço. Bill estremeceu e
apertou-a mais contra ele. Ela pôde sentir a sua excitação forte, o que lhe deu
coragem para para olhar bem fundo nos olhos dele e roçar os lábios dela nos
dele deixando-o louco. Ela virou-se de costas para ele encostando-se a ele. Ela
rebolou de novo indo até ao chão com as mão dele na sua cintura. Voltou a
virar-se e desta vez não retrocedeu. Beijou Bill fugazmente puxando os cabelos
de Bill e passando a outra mão pelo peito dele. Deu pequenos beijos na sua face
e sussurrou no seu ouvido:



-
Leva-me para casa.



Bill
encarou-a nos olhos com intensidade e pegou na mão dela levando-a para fora
daquele local. Chegaram ao parque de estacionamento e Bill encostou-a no carro
dela beijando-a novamente, Nicole passou a língia nos lábios dele e Bill abriu
a porta do passageiro para ela. Queria chegar em casa rápido.



Bill
arrancou e com muito cuidado acelarou um pouco, não aguentava de tanto desejo.
E Nicole, que ainda arfava com o beijo que ele lhe tinha dado ainda há pouco,
olháva Bill sem tirar os olhos dele. Ansiava por tocá-lo novamente, gemer de
prazer e levar Bill aos céus.



Assim
que Bill entrou na garagem, Nicole saiu do carro olhando mais uma vez para Bill
e seguiu em frente caminhando sedutoramente. Chegou até á sala e surpreendeu-se
com a lareira acesa. Aquela noite era deles, apenas deles. Olhou á sua volta e viu yudo apagado, Simone e
Georg já dormiam, perfeito. Estavam completamente sozinhos. Sentiu Bill
abraçá-la por trás beijando-lhe o ombro esquerdo. Nicole virou-se para ele e
empurrou-o para o sofá onde se sentou de frente para ela. Nicole deu um passo
para trás e tirou vestido deixando-o cair ao chão ficando apenas com lingerie
vermelha. Ele olhou-a de cima abaixo ficando ainda mais excitado com avisão.
Nicole sentou-se no colo dele ficando na sua frente e puxou a cabeça de Bill
para trás beijando-lhe o pescoço e dando-lhe pequenas mordidas. Tirou-lhe o
casaco e depois a camisola, dando pequenos beijos no seu peito e fazendo um
percurso até á estrela que ele tinha abaixo do seu abdómen. Voltou de novo para
o seu pescoço e finalmente beijou-lhe os lábios com fervor expressando todo o
seu desejo. Bill gemeu com o beijo dela, passava as suas mãos pelaa costas
macias dela apertando levemente as pernas dela. Estavam a ficar com muito calor
devido á lareira acesa. Podiam sentir o calor invadir-lhes os corpos fazendo-os
suar. Porém, isso não atrapalhava em nada, apenas fazia crescer o desejo
contido e guardado durante semanas. Nicole desapertou as calças dele e tirou-a
acariciando o seu membro por cima dos boxers. Bill gemeu alto e agarrou com
mais força Nicole. Estava desesperado por tê-la, tanto tempo sem lhe poder
tocar e nem lhe dirigir uma palavra. E agora ela estava ali com ele. Beijou-lhe
o pescoço deixando-lhe marcas por onde beijava. Tirou o sutiâ e acariciou os
seios beijando-os e apertando as nádegas dela. Nicole arfava e agarrava os
cabelos de Bill com força, demonstrando o prazer que sentia. Não eram precisas
as palavras, as carícias que trocavam e os beijos ardentes já diziam tudo.
Nicole tirou os boxers dele expondo o seu membro. Fez carícias leves e depois
de ela própria pôr o preservativo no sexo dele, tirou a única parte que restava
e sentou-se no membro dele, começando com investidas lentas. Nicole sentia cada parte dele e desfrutava
cada segundo de prazer. Bill passava as mãos pelo corpo dela não querendo
desperdiçar nenhum momento, Nicole aumentava agora as investidas, fazendo com
que as respirações aumentassem de ritmo. Bill pegou nela e deitou-se sobre ela
no sofá, fazendo-a gemer alto. Ambos suavam com o calor das chamas intensas e á
medida que Bill aumentva as suas investidas, Nicole arqueava as costas e
arranhava as dele, anunciando que estava a chegar ao orgasmo. Bill entrava mais
fundo nela, ambos iam chegar ao climax juntos. E assim foi, depois de uma
investida funda ambos gemeram alto e trocaram um beijo cúmplice e apaixonado.



Bill
saiu de dentro dela após alguns segundos e depois de vestidos nenhum deles
sabia o que dizer. Mas Nicole sentia que não deveria ter feito aquilo, afinal
eramais dor para ela, vê-lo com Kate enquanto ela continuava a ser um capricho.
Suspirou, amava-o tanto que não era capaz de o deixar e seguir com a sua vida.



Bill
ouviu o seu suspiro, sabia o quanto a estava a fazer sofrer, teria de a deixar seguir
com a sua vida, tinha a noção do quanto a magoava ao andar atrás dela e fazê-la
pensar que era apenas uma diversão para ele. Mas ela não sabia que o que Bill
sentia por ela era forte demais para a deixar viver sem ele. E Bill não
compreendia porque não tinha coragem para deixar Kate e ficar com Nicole. Era
com ela que se sentia feliz e completo, Kate era a pessoa mais sensivel que
tinha conhecido, mas tinha de admitir que não amava. Porém, não queria ver Kate
destroçada, sabia que Kate era doida por ele e fazia qualquer coisa para não o
perder, e era disso que ele tinha medo.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Hellly
Forever Addicted
Forever Addicted
avatar

Número de Mensagens : 207
Idade : 25
Localização : Porto
Membro preferido: : Bill Kaulitz
Música/Video : TODAS!!!
Sou fã desde: : 2007
Data de inscrição : 12/07/2009

MensagemAssunto: Re: A Tentação do Pecado   Ter Dez 22, 2009 12:38 pm

amanha eu volto com mais!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
vampirinha kaulitz
Forever Addicted
Forever Addicted
avatar

Número de Mensagens : 318
Idade : 25
Localização : onde o bill estiver eu estou com ele.
Membro preferido: : bill
Música/Video : rette mich/don´t jump
Sou fã desde: : 15 de junho de 2007
Data de inscrição : 11/01/2009

MensagemAssunto: Re: A Tentação do Pecado   Ter Dez 22, 2009 3:17 pm

so de pensar que tenho que esperar ate amanha.
mais uma vez amei
continua
beijos
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Fofy_Kida
Freheit 89
Freheit 89


Número de Mensagens : 89
Idade : 25
Localização : Porto
Data de inscrição : 31/03/2009

MensagemAssunto: Re: A Tentação do Pecado   Qua Dez 23, 2009 1:00 am

adorei, continua... sera que e desta que o bill ganha juizo?
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Hellly
Forever Addicted
Forever Addicted
avatar

Número de Mensagens : 207
Idade : 25
Localização : Porto
Membro preferido: : Bill Kaulitz
Música/Video : TODAS!!!
Sou fã desde: : 2007
Data de inscrição : 12/07/2009

MensagemAssunto: Re: A Tentação do Pecado   Qua Dez 30, 2009 1:27 pm

Ele
olhava, mas ela desviava. Ela olhava, mas ele desviava. Nenhum dos dois tinha
coragem de falar ou até mesmo olharem um para o outro depois daquela noite. E
mesmo assim, eles recordavam cada toque e cada respiração ofegante.



E
Tom já tinha descoberto tudo quando apanhou Nicole com lágrimas nos olhos
sentada naquele sofá a olhar as chamas intensas na tarde seguinte.



-
Eu não sei porque acabámos sempre no mesmo! Eu tento manter-me afastada, mas
ele vem sempre atrás e eu não consigo resistir!



Tom
abraçou-a fazendo carinho no cabelo dela. Estava a sentir-se mal por ela, sofria
quando era desnecessário se Bill abrisse os olhos logo de uma vez. Como é
possível alguém ser tão cego? Deixou-a chorar no seu ombro até se acalmar.



-
Verdade! Não saias de casa hoje. Tenho uma surpresa para ti! – Disse Nicole.



-Surpresa?
– Perguntou Tom sem perceber.



-
Sim, tu vais amar!



E
foi apenas pronunciar tal palavras que a campainha tocou e Nicole apressou-se
para a porta.



-
Não digas nada! Vem comigo! – Nicole pegou na mão de Kelly e levou-a para a
sala.



-
Tom olha quem vem estudar connosco…



Tom
olhou para Kelly e sorriu.



-
Estás a falar a sério?



-
Está! Eu pedi transferência. Estou a morar agora com os meus tios. Sem a Nicole
Los Angeles não é a mesma.



-
Bem-vinda então! – Disse Tom encarando aqueles olhos cativantes.



-
Bom, eu tenho de ir ao meu quarto. Venho já. – Disse Nicole retirando-se.



Subiu
as escadas a correr sem ver que Bill descia na sua direcção. Acabou por
tropeçar e sentiu dois braços a segurá-la impedindo-a de cair.



-
Estás bem? – Nicole levantou o seu olhar e viu que estava a centímetros de
tocar os seus lábios com os seus.



-
Sim. Obrigada.



Afastou-se
com alguma dificuldade e levou a sua mão ao coração. “Acalma-te. Não foi nada
demais.”



Minutos
depois alguém bate á porta do seu quarto, o seu coração disparou. “Por favor
não sejas tu”.



-
Entra.



Suspirou
de alívio quando viu Kelly entrar com uma expressão de felicidade.



-
Vou sair com ele hoje á noite!



Kelly
pulava e sorria, o que fez Nicole sorrir também e esquecer-se do sucedido por
uns momentos.



Assim
que Kelly se foi, ficou de novo sozinha. E então mais três batidas na sua porta
a fizeram saltar da sua cadeira assustada.



-
Entra.



Era
Tom. Outro suspiro de alívio.



-
O que deseja o senhor Tom?



Tom
riu-se, estava envergonhado. Como perguntar algo que o fazia tremer e ficar com
vergonha de assumir que já se sentia preso a Kelly.



-
Hum… não gozes ok? Sabes bem que eu não bom nisto…



Nicole
reprimiu um sorriso e escutou atentamente.



-
O que a Kelly gosta? Um restaurante caro e depois um ambiente de sedução, ou um
jantar simples com um passeio tranquilo e romântico?



-
Bom, conhecendo-te a ti e á Kelly, eu acho melhor vocês conhecerem-se melhor.
Portanto, um jantar simples e um passeio naquele parque que me levaste a
visitar era óptimo. Isto é, se realmente estiveres interessado nela. Kelly não
é como as raparigas que costumas sair.



-
Eu sei… E tens razão, vou optar pelo jantar simples e pelo passeio. – Suspirou
nervoso e continuou – Porra, eu não sabia que ia estar assim tão nervoso.



Nicole
sorriu, era a primeira paixão de Tom.



-
Bom, quando se está apaixonado os nervos também faz parte.



Tom
corou levemente, nunca se tinha imaginado com uma rapariga por mais que uma
noite.



E
mais dias passaram, Bill estava ansioso pela festa de sexta-feira. Ver Nicole
dançar ia ser uma surpresa, pelas conversas que tinha com Tom, Nicole era das
melhores e tinha um talento natural.



Nicole
olhava-se no espelho, de maneira nenhuma que aquela mulher seria ela. Tinha
mudado para uma mulher mais bonita e sexy, mas nunca pensou que pudesse ficar
tão cativante e linda como aquela figura que via no espelho. Porém, não seria
naquele momento que Bill a iria ver, não, primeiro tinha que fazer a chama
acender ao vê-la dançar. Tinha tudo preparado, ele não iria resistir a um
ataque daqueles, depois de tudo o que ele fez, subiria paredes se fosse
preciso.



Sendo
assim, Nicole saiu de casa e partiu para a faculdade, dirigindo-se para os
balneários onde se encontrou com os elementos do grupo vestindo-se para a
coreografia.



-
Vamos, vai dar tudo certo! - Disse Kelly entrando nos balneários.



-
Eu sei que vai! – Respondeu Nicole cheia de confiança no olhar.



Nicole
subiu no palco, estava nervosa, mas assim que o viu sentado na fila da frente
mesmo com o seu olhar encarando-a, respirou fundo e sorriu. O show ia começar.



Assim
que a música soou aos ouvidos dela, todo o seu corpo se mexeu respeitando todos
os passos da coreografia, podia ver o olhar de Bill de desejo, estava a
conseguir, ele estava preso nela. Nicole rebolou até ao chão mexendo as suas
ancas e Bill mordeu o lábio inferior. Estava excitado, suava por vê-la assim
tão provocante e queria tê-la. Nicole olhou para ele directamente nos olhos e
sorriu, sim, aquele jogo da dança e de sedução estava a agradá-la. E o faria
todos os dias se fosse preciso. Ver o suor correr na cara dele, os lábios
inchados de tanto os morder, o olhar feroz que lhe mandava… Ela o queria
novamente e desta vez sem arrependimentos… Bill estremeceu quando viu Nicole
bailar, fazendo a sua saia rodar e ver as pernas lindas dela, arrepiou-se ao
vê-la naquele tacão alto, como ela ficava tão linda vestida daquela maneira…



A
música já anunciava o fim, e Bill tinha que se agarrar á cadeira para não
saltar dali e puxá-la. Aquela mulher era a sua perdição, morreria por ela e
ardia no inferno se fosse preciso só para a ter novamente. Precisava de algo
fresco, aquele calor iria matá-lo…



Correu
dali e foi até ao bar, pedindo água fresca. Olhou mais uma vez para o palco e
agradeceu por Nicole já ter descido. Não iria aguentar mais… Algo súbito o
dominou, raiva misturada com desejo. Ela pensava que podia chegar na vida dele,
provocá-lo, fazê-lo desesperar, ser cobiçada por todos os homens presentes
naquela festa, e ainda tinha que ser linda e perfeita? Maldita! Tentadora!
Pecadora!



-
Bill? O que te deu? – Perguntava Kate atónita com a reacção dele.



-
Nada… - Respondeu quase lhe faltando o olhar.



Kate
pôs a mão na testa dele e exclamou:



-
Estás muito quente! Deves ter febre! Acho melhor irmos ao hospital…



-Não,
eu estou bem…



E
dito isto olhou para a porta principal e ficou paralisado… Começou por ver
aquele tacão alto fino e preto, depois foi levantando o seu olhar levemente
para aquelas pernas brancas chegando a ver o tecido preto, justo que se
enquadrava naquele corpo esbelto, aquela pele descoberta que o atraia, quase
que conseguia sentir a sua textura macia. Viu aqueles lábios vermelhos clamando
pelos dele, eram como chamas ardentes. Olhos azuis delineados em preto
prendendo qualquer um sua teia, o seu cabelo apanhado que apenas deixava cair
pequenas madeixas nas costas… Era ela. Mais linda do que sempre. Se tinha
pensado que vê-la num vestido de vermelho era tudo, se vê-la dançar já tinha
alcançado a perfeição e não podia ser mais bonita, então enganara-se
profundamente. Aquela mulher ali era a Nicole, aquela que tanto o fazia
suspirar mesmo sem saber porquê… Então ela caminhou para a multidão, e Bill
admirou os seus passos, o seu vestido que roçava nas pernas dela… Maldição!



Nicole
caminhou em frente, sabia qual era a sua meta, e sabia também que iria
conseguir. Olhou fixamente para Bill, prendendo-o no seu olhar. Bill sentiu o
seu corpo queimar, como era possível estar tanto calor quando fazia frio?
Aquela raiva e aquele desejo estavam a dominá-lo por completo. Ele não sairia
dali sem ter aquela mulher, ai isso é que não! E ela caminhava por entre as
pessoa nunca desviando o seu olhar do dele, adorou ver os seus lábios tremerem
clamando por ela. E então ela sorriu, e Bill pensou que ardia no inferno. Viu
aqueles lábios vermelhos abrirem num sorriso, aquele sorriso provocante mas ao
mesmo tempo encantador… Por quantas noites tinha sonhado com ela e com aquele
sorriso…



-
Olá! – Falou um rapaz metendo-se na frente de Nicole interrompendo o contacto
com Bill.



-Olá…


Bill
ficou furioso ao vê-lo na frente dela, como se atrevia? E ao ver Nicole sorrir
para ele fez com que agisse. Felizmente conhecia o rapaz… Encostou-se num canto
e pegou no seu telemóvel…



-
Sim? – Falou a voz do outro lado.



-
Peter Smith? – Falou Bill.



-
Sim quem é?



-
A sua irmã encontra-se aqui na esquadra e precisa de alguém responsável por ela
que a venha buscar. Por favor, dirija-se ao posto o mais rápido possível.



-Mas
está tudo bem?



-Quando
chegar falaremos melhor consigo.



Bill
desligou o telemóvel e sorriu, Peter afastou-se de Nicole e foi embora.
Conseguia agora vê-la, e era inteiramente dele…



Caminhou
para ela, porém, Nicole afastou-se fitando-o. O que ela queria? Deu-lhe as
costas e viu-a entrar na casa de banho, mas antes olhou novamente para ele.
Bill morder o lábio, era uma provocação, estava a desafiá-lo a ir atrás dela.
Não pensou duas vezes, andou o mais rápido que pôde, e quando saiu uma rapariga
perguntou:



-
Está mais alguém na casa de banho?



A
rapariga estranhou a pergunta mas logo respondeu:



-Está
apenas uma rapariga…



Bill
entrou agressivamente na casa de banho vendo Nicole encostada na parede
olhando-o fixamente.



Nicole
viu Bill trancar a porta, tinha conseguido. Estava desesperado.



-
Achas bem? – Falou Bill andando na sua direcção. – Achas bem apareceres aqui e
provocar-me dessa maneira? Quem tu pensas que és? – Continuou encostando-a na
parede e pondo as mãos dele na parede deixando-a sem saída.



Nicole
colou os seus corpos e conseguiu sentir Bill quente. Estava a ferver…



-
Vais dizer-me que não gostas? – Sussurrou no ouvido dele.



Não
aguentou mais, Bill beijou-a com urgência mantendo-a encostada á parede com os
corpos colados, deixando que ela sentisse a sua excitação. Sugou o lábio
inferior dela apertando as suas pernas com força. Isso fez com que Nicole
subisse as pernas ao nível da cintura dele mas não as envolvendo. Mas então
Bill chupou o pescoço dela causando-lhe arrepios na sua espinha e então prendeu
Bill colando-se a ele. Puxou os cabelos dele com força gemendo alto com os seus
beijos ardentes. Bill subiu as suas mãos passando-as pela barriga até aos seus
seios e desceu novamente para as pernas e deslizou até às suas nádegas.
Apertou-as e Nicole gemeu mais alto, ele descia agora os seus lábios para o
peito dela, e isso estava a enlouquecê-la. Roçou o seu quadril no dele sentindo
a excitação e o calor que emanava. Que desespero!



-
Não tão cedo… - Falou Bill. – Hora de vingança…



Nicole
gemeu mais com aquelas palavras, iria morrer ali, tinha a certeza. Bill puxou o
vestido para baixo e massajou os seios dela, mordendo os mamilos dela e depois
chupando-os com desejo. Nicole roçou-se mais uma vez nele e Bill começava a
ficar desesperado também, se ela não parasse com aquilo iria acabar por ceder.
Levou uma mão á sua cintura mantendo-a presa na parede e afastou o seu quadril
um pouco.



-
Por favor… - Implorava ela.



-Ainda
não…



Nicole
lambeu o lábio dele beijando-o de seguida. E então Bill levou outra mão para
debaixo do vestido dela chegando às suas cuecas e passou a mão por cima do sexo
dela.



-
Bill! Por favor!



Como
adorava ouvi-la implorar! Desenlaçou as pernas dela e retirou as suas cuecas
voltando a enlaçar de novo as suas pernas ao redor da sua cintura e acariciou o
sexo dela.



-
Por favor! Bill! – Ela quase gritava, não queria esperar mais, precisava dele
urgentemente.



Bill
sentiu o quanto ela desesperava por ele, não iria fazê-la sofrer, deixou que
Nicole desapertasse as suas calças e puxar os seus boxers para baixo. Colocou o
preservativo e entrou dentro dela fortemente e com rapidez. Nicole puxou os
cabelos dele sentindo-o dentro de si e todo o seu calor.



Os
dois gemiam de prazer, Bill beijava o pescoço dela respirando ofegantemente.
Nicole passava as suas mãos pelas costas dele puxando os seus cabelos. Ele continuava
com as suas investidas rápidas.



-
Mais, eu quero mais! – Pedia Nicole.



E
assim Bill aumentou as suas investidas entrando mais forte nela. Nunca tinham
desejado tanto um ao outro como naquele momento, e mesmo sendo errado, parecia
perfeito.



Bill
investiu mais uma vez e dois chegaram juntos ao clímax. Ainda dentro dela,
beijou-a como sempre fazia, com paixão e com carinho.



Depois
de vestidos, Nicole retocou a sua maquilhagem e Bill permaneceu a observá-la.
Não podiam continuar daquele jeito, não podia fazer Nicole sofrer, não podia
trair mais a namorada… Tinha que deixar Nicole seguir em frente.



Saiu
da casa de banho e dirigiu-se para a saída, iria embora.



-
Onde estavas? – Perguntou Kate agarrando-o no braço.



-
Desculpa, fui á casa de banho. Estava aflito…



-
Ok, e para onde vais agora?



-
Para casa. Estou cansado. Falámos amanhã.



Bill
virou-lhe as costas deixando-a sozinha a olhar para ele. Virou-se e viu Nicole
sair da casa de banho. Algo lhe dizia que Bill mentia, e que a cega naquela
história era ela.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Hellly
Forever Addicted
Forever Addicted
avatar

Número de Mensagens : 207
Idade : 25
Localização : Porto
Membro preferido: : Bill Kaulitz
Música/Video : TODAS!!!
Sou fã desde: : 2007
Data de inscrição : 12/07/2009

MensagemAssunto: Re: A Tentação do Pecado   Qua Dez 30, 2009 1:28 pm

por hoje é só, espero q gstem!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
vampirinha kaulitz
Forever Addicted
Forever Addicted
avatar

Número de Mensagens : 318
Idade : 25
Localização : onde o bill estiver eu estou com ele.
Membro preferido: : bill
Música/Video : rette mich/don´t jump
Sou fã desde: : 15 de junho de 2007
Data de inscrição : 11/01/2009

MensagemAssunto: Re: A Tentação do Pecado   Sab Jan 02, 2010 9:52 pm

como eu ansiava por este capitulo
quero mais amor
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Hellly
Forever Addicted
Forever Addicted
avatar

Número de Mensagens : 207
Idade : 25
Localização : Porto
Membro preferido: : Bill Kaulitz
Música/Video : TODAS!!!
Sou fã desde: : 2007
Data de inscrição : 12/07/2009

MensagemAssunto: Re: A Tentação do Pecado   Seg Jan 04, 2010 8:46 pm

Nicole chegou em casa e foi directa
para o quarto. Atirou-se para a cama e respirou fundo. Tinha passado um momento
com ele tão bom, perfeito e ardente. Ainda conseguia sentir o calor dele no seu
corpo, a sua respiração ofegante no pescoço dela… Mas sempre que aqueles
momentos acabavam, vinha a tristeza. Tristeza de não o ter, tristeza de sofrer
por um amor que não era correspondido…


Ouviu o trovão do lado de fora, e
nesse momento começou a chover agressivamente. Tinha visto nas notícias que os
próximos dias iam ser assim, de um temporal negro.


Adormeceu, adorava ouvir a tempestade
e ficar quentinha na sua cama.


Bill estava deitado na sua cama a
ouvir a tempestade, estava confuso. Sabia que tinha de tomar uma decisão. Não
podia continuar a enganar Kate nem fazer sofrer Nicole. Mas a verdade era que
mesmo a lutar, Bill não conseguia manter-se afastado de Nicole, e Kate iria
sofrer se a deixasse, porém, tinha de pensar melhor. Tinha de falar com Nicole
e pedir-lhe desculpas por tudo o que tinha feito com ela. E pedir um tempo a
Kate. Desta vez iria fazer tudo certo.


Levantou-se e saiu do quarto. Abriu a
porta do quarto de Nicole e deitou-se junto a ela. Permitiu-se a senti-la nos
seus braços uma última vez.


Nicole mexeu-se na cama e pousou a
sua cabeça no peito de Bill e sussurrou:


- Bill…


Ele agarrou-a segurando-a nos seus
braços e beijou os seus cabelos. E por fim, deixou-se adormecer.


No dia seguinte, Nicole acordou
novamente com a sensação de que tinha dormido nos braços de um anjo, olhou para
o seu lado e viu que a cama estava um pouco desarrumada demais do que o
costume. Devia ter sido daquelas noites em que tinha tido daqueles sonhos
estranhos. E de facto o seu sonho tinha sido muito estranho. Tinha sonhado com
Bill. Ele com um bebé nos braços a sorrir para ela.


Suspirou, tinha sido mesmo um sonho
estranho.


Depois de um banho demorado, desceu
para tomar o pequeno-almoço, tinha um fim-de-semana para descansar. A faculdade
era cansativa, e a festa de ontem…Nicole sorriu, nunca tinha adorado uma festa
como aquela, principalmente a parte do fim…


- Bom dia – Disse Bill entrando na
cozinha.


- Bom dia…


Os dois olharam-se por longos
segundos, Bill sabia que não podia adiar mais.


- Eu preciso de falar contigo…


Se ela estava nervosa? Claro que sim.
Se ele receava fazê-la sofrer ainda mais? Sim.


Estavam os dois no quarto dele, Bill
encarava-a não querendo perder nenhuma reacção dela.


-Eu… Eu quero pedir-te desculpas por
ontem. Por ontem e por tudo o que te fiz. Não era minha intenção magoar-te nem
brincar com os teus sentimentos. A verdade é que tu mexes muito comigo. Eu
pensava que era apenas uma atracção, mas agora acho que é mais do que isso. Eu
preciso de um tempo para pôr tudo no lugar, estou muito confuso…


Nicole baixou o olhar, Bill estava a
dizer-lhe que nunca tinha sido um capricho e que sentia algo por ela, mas que
ainda não sabia. Aquilo fez com que sentisse melhor, mas mesmo assim continuava
a sofrer por ter a possibilidade de ficar sem ele.


- Bill… - Nicole aproximou-se e
continuou – Tu não tens que me pedir desculpas por aquilo que fizemos ontem ou
nos outros dias. Eu também quis tanto como tu. E se eu pudesse voltar atrás
fazia tudo de novo. Não quero que te sintas culpado pelo que estou a passar nem
que fiques comigo só para não me veres sofrer. Tens o tempo que quiseres.


Bill abraçou-a com força, e
agradeceu-lhe em silêncio por ser tão compreensiva.


Nicole queria dizer-lhe que o amava,
mas não podia. Não queria fazê-lo sofrer mais do que já sofria.


- O que vem a ser isto? – Gritou Kate
ao entrar no quarto e ver aqueles dois abraçados.


- Kate fica calma. Estava a apenas a
falar com ela.


- Sim, e falar significa abraços
também?


Bill respirou fundo e disse em tom
sério:


- Kate nós precisamos de falar.


E Kate não disse mais nada, sabia que
pelo tom dele as coisas não iam ser fáceis para ela. Tinha de arranjar uma
maneira de dar a volta por cima.


- Eu vou indo. – Falou Nicole olhando
mais uma vez para ele e saiu.


- O que se passa meu amor? – Falou
Kate.


- Acho que já percebeste que não
estamos bem…


- Claro que não estamos bem, desde
que aquela rapariga apareceu que tu nunca mais foste o mesmo!


- A Nicole não tem nada a ver com o
que quero dizer! Pára com essa perseguição, ela não tem culpa de nada!


Kate bateu com os dentes, claro que
tinha! Porque tinha que a defender? O que ele queria com ela?


- Tudo bem, então…


- Então eu preciso de um tempo…


Kate pensou que o mundo tinha parado
naquele momento. Ele queria um tempo?


- Um tempo? Para quê?


- Como eu disse, nós não andámos bem
e eu preciso de pôr as ideias em ordem. Estou muito confuso…


Kate sentiu as lágrimas de raiva e
caírem-lhe pelo rosto, ele não podia deixá-la, isso não iria acontecer.


-Mas… Bill, eu posso ajudar-te! Tu
não és feliz comigo?


- Kate, por favor, vai embora…


Kate engoliu em seco, estava a
mandá-la embora.


- Bill…


- Desculpa, mas eu não aguento mais…
Um tempo é o melhor para nós dois…


Kate viu que não ia voltar atrás,
pegou na sua bolsa e saiu. Olhou para a porta do quarto de Nicole. Ela tinha a
culpa toda. Era ela que estava a fazer com que o seu namorado se distancie
dela… Saiu daquela casa e foi embora.


- Então, correu tudo bem? – Perguntou
Tom.


- Acho que sim…


Tom olhava para Bill. Tinha de tomar
a decisão acertada, não podia continuar cego para sempre.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Hellly
Forever Addicted
Forever Addicted
avatar

Número de Mensagens : 207
Idade : 25
Localização : Porto
Membro preferido: : Bill Kaulitz
Música/Video : TODAS!!!
Sou fã desde: : 2007
Data de inscrição : 12/07/2009

MensagemAssunto: Re: A Tentação do Pecado   Seg Jan 04, 2010 8:47 pm

- Que chatice! – Falou Nicole ao
olhar para o céu. Estava negro, em poucos minutos começaria a chover e ia ficar
toda molhada. Tinha saído para caminhar um pouco, e ainda estava longe de casa.
Acelerou o passo, mas nem foram questão de minutos, a chuva veio forte e em
poucos segundos ficou encharcada. Viu um abrigo do outro lado da rua e correu.


- Olá… - Virou-se para ver de onde
vinha aquela voz tão familiar.


E lá estava ele, encharcado como ela.
Passaram-se dias desde que tinham falado no quarto dele, talvez mais do que uma
semana. Mas ainda sentia aquele frio no estômago e o seu coração batia
freneticamente sempre que o via. Soube por Tom que Bill e Kate tinham dado um
tempo. Ele estava a cumprir com a sua palavra, estava a ser sincero com ele
próprio.


- Olá. Então parece que estamos os
dois na mesma trapalhada.


- É… Pensava que não ia chover hoje,
mas afinal…


Sorriram os dois, Bill não falava com
ela há mais de uma semana, tinha receio de fazer asneira e então observava-a de
longe.


Olharam para a chuva que caía mais
forte agora. Nicole começou a tremer de frio, e Bill reparou nisso.


- Anda cá… - Puxou-a para um abraço
que a fez sentir-se segura e quente, apesar de estarem, ambos molhados.


- Hum… Obrigada.


Bill sorriu para ela, queria tanto
tê-la nos seus braços. E assim a tinha, a protegê-la contra o frio. Sentiram um
vento forte e frio a percorrerem-lhes o corpo e Bill abraçou-a mais fazendo com
que Nicole enterrasse o seu rosto no peito dele e sentisse a respiração no seu
cabelo.


Bill não aguentou e baixou os seus
lábios beijando-lhe a testa. E desceu até á ponta do seu nariz e o beijou
também. Nicole ergueu a sua cabeça sentindo-se nervosa, se o beijasse não iria
conseguir parar. Bill desceu mais os seus lábios, sabia onde queria chegar.
Acariciou a face do rosto dela com os seus dedos e passou-os depois pelos
lábios dela. Acabou por beijá-la lentamente, sugando o lábio inferior dela,
queria tê-la de uma maneira apaixonada, como nunca a teve. Nicole passou os
seus braços ao redor do pescoço dele deixando-se levar. Bill aprofundou o beijo
com a sua língua encontrando logo a dela. E ficaram assim durante longos
minutos, beijando-se lentamente e apaixonadamente. A chuva diminuía de
intensidade, e no fim daquele beijo, já ela tinha cessado. Ambos olharam para o
céu e depois encararam-se.


- Melhor irmos agora senão começa a
chover outra vez. – Disse Bill.


Desceu os degraus e estendeu a sua
mão para ela. Nicole sorriu e deu-lhe a sua mão. Bill passou um braço ao redor
da cintura dela e caminharam assim até casa.


Antes de chegarem às escadas, Bill
pegou em Nicole ao colo e deu-lhe um beijo suave nos lábios. Entraram no quarto
e deitou-a cuidadosamente na cama ficando por cima dela. Novamente acariciou o
seu rosto com os dedos e roçou os seus lábios nos dela. Nicole começou a
desapertar o casaco de Bill e tirou-o, estava tão encharcado quanto ela. Este
beijou-a no pescoço e Nicole rolou na cama ficando por cima dele. Tirou a sua
camisola ficando de sutiã e foi beijando o peito de Bill que já não tinha
camisola. Ela desceu e subiu, deixando que Bill rolasse de novo na cama. Ele
queria guardar cada momento na sua memória, entregar-se á paixão que há muito
tempo sentia. Ambos beijaram-se com amor e trocaram olhares carinhosos. Bill
desapertou as calças dela enquanto Nicole fez o mesmo com as calças dele. Assim
que se viram livres das calças, Bill passou as mãos pelo corpo dela,
memorizando cada detalhe. Tirou-lhe o sutiã e beijou os seus seios. Nicole
gemeu e agarrou levemente o cabelo dele. Bill desceu as suas mãos e tirou as
cuecas dela. Tirou os seus boxers e olhou para ela nos olhos mais uma vez.
Entrou dentro dela lentamente enquanto a beijava carinhosamente e passava uma
das suas mãos pelos seus cabelos. Nicole mantinha as suas mãos nas costas dele
sentindo Bill dentro de si. Ele beijou-a no pescoço, nos ombros, nos peitos…
Todos aqueles momentos guardados na sua memória.


Nicole rolou na cama e
começou com as suas investidas também lentas. Passou as suas mãos pelo peito de
Bill mantinha as suas mãos na cintura dela. Começou a aumentar o ritmo e sentiu
Bill apertá-la mais forte. Bill levantou o tronco ficando com Nicole no seu
colo. Abraçou-a respirando ofegantemente. Beijaram-se mais uma vez e chegaram
ao orgasmo juntos.


Ficaram abraçados por
longos minutos, Bill fazia carinhos no cabelo dela e Nicole mantinha a sua
cabeça deitada no seu ombro passando as mãos pelas costas dele.


Ele sentiu-a abraça-lo
com mais força e beijou-lhe a testa. Deitou-se e puxou-a para os seus braços.


- Bill?


- Sim?


Nicole encarou-o nos olhos
e continuou:


- Eu não quero que te
sintas pressionado com nada. Tens o tempo que quiseres…


Bill segurou o rosto
dela com as suas mãos e respondeu:


-Eu sei. Eu também não
quero fazer-te sofrer.


Nicole sorriu para ele
e deixou-se ficar ali o resto da tarde. Nunca tinham passado tanto tempo juntos
sem esconder nada um do outro. E enquanto estiveram nos braços um do outro, o
mundo parecia perfeito.


E os dias continuavam,
a faculdade ia passando facilmente, Bill e Nicole falavam bastante nas aulas e
algumas vezes nos intervalos, Tom e Kelly já se tinham assumido publicamente,
já frequentava a casa dele quase todos os dias, e Kate continuava a perseguir
Bill e a tentar aproximar-se, porém, Bill relembrava-lhe que tinham dado um
tempo e por isso precisava de espaço.


E Nicole encontrava-se
na casa de banho mais uma vez, tinha andado enjoada todos os dias, ora comendo
muito, ora comendo pouco. Não suportava o cheiro de comida e acabava por correr
para a casa de banho vezes sem conta.


- De certeza que não queres
ir ao hospital? – Perguntou Kelly.


- Não, eu já estou
melhor.


Nicole dirigiu para
casa e foi directa para o quarto. Sabia que não eram apenas enjoos, mas estava
com medo do que podia vir a descobrir. Bill e Nicole não tinham usado
preservativo na última vez que fizeram amor. Nicole temia estar grávida.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Hellly
Forever Addicted
Forever Addicted
avatar

Número de Mensagens : 207
Idade : 25
Localização : Porto
Membro preferido: : Bill Kaulitz
Música/Video : TODAS!!!
Sou fã desde: : 2007
Data de inscrição : 12/07/2009

MensagemAssunto: Re: A Tentação do Pecado   Seg Jan 04, 2010 8:47 pm

hoje tem direito a 2 capitulos...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
vampirinha kaulitz
Forever Addicted
Forever Addicted
avatar

Número de Mensagens : 318
Idade : 25
Localização : onde o bill estiver eu estou com ele.
Membro preferido: : bill
Música/Video : rette mich/don´t jump
Sou fã desde: : 15 de junho de 2007
Data de inscrição : 11/01/2009

MensagemAssunto: Re: A Tentação do Pecado   Seg Jan 04, 2010 11:50 pm

EU VOU-TE MATAR, é oficial.
tinhas que parar aí?
AMEI por completo
tens imenso geito par escrever.
isto esta mesmo perfeito
continua paixao.
adoro-te.
beijos
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Hellly
Forever Addicted
Forever Addicted
avatar

Número de Mensagens : 207
Idade : 25
Localização : Porto
Membro preferido: : Bill Kaulitz
Música/Video : TODAS!!!
Sou fã desde: : 2007
Data de inscrição : 12/07/2009

MensagemAssunto: Re: A Tentação do Pecado   Ter Jan 05, 2010 8:36 pm

Não podia mais estar naquela
ansiedade, tinha de acabar com aquilo rapidamente. Saiu de casa e meteu-se no
carro. Tentou não pensar muito durante o trajecto, apenas se concentrou em
chegar á farmácia e pedir um teste sem se desfazer em lágrimas.


- Um teste de gravidez por favor.


- Tem preferência na marca? –
Perguntou a mulher olhando para mim.


- Qualquer uma serve.


A enfermeira voltou com uma caixa cor-de-rosa
e prosseguiu:


- Quer que lhe diga como funciona?


- Não, eu leio as instruções
obrigada.


A mulher olhou para ela preocupada,
podia ver o desespero nos olhos dela.


Nicole olhava para o teste na sua
cama, e se estivesse grávida? O que faria? Respirou fundo e foi para a casa de
banho. Iria ficar tudo bem dependente do resultado. Tinha de acreditar que sim.


Dois minutos se passaram desde que
fez o teste, estava na hora de olhar para o resultado. Estava com ele na mão,
escondendo-o. Não tinha coragem, será que Bill iria pensar que o fez de
propósito? Suspirou, depois pensaria nisso.


Calmamente abriu a sua mão, era
apenas um resultado. Tinha de pensar assim, era apenas um resultado e ficaria
tudo bem.


Positivo. O resultado deu positivo.
Nicole estava grávida.


Tapou a sua boca com a mão e deixou
as lágrimas rolarem pelo seu rosto. Grávida. Aquela palavra ecoava na mente
dela como um desespero. Sabia que tinha muito pela frente, mas o que a
incomodava mais era o facto de não saber se ia ser uma mãe. Olhou novamente
para o resultado. Queria que fosse tudo apenas um sonho e quando acordasse
estaria tudo bem. Mas não estava. O que iam pensar dela? O que Bill faria
quando soubesse? O que os pais dela lhe diriam? Como ia sustentar aquela
criança? Claro que os pais não lhe negariam ajuda, mas depender deles porque
não teve os cuidados necessários iria parecer que não tinha responsabilidade
nenhum. Engravidar aos dezoito anos não fazia parte dos seus planos.


Deixou-se acalmar por uns minutos,
tinha de pensar melhor. Não podia agir enquanto estava nervosa.


Já livre das lágrimas, levantou-se
olhando pela janela. As tempestades já haviam cessado, estava agora o típico
dia cinzento de Magdeburg.


Passou a mão pelo seu ventre e
sorriu. Já adorava aquela criança, e não queria saber da reacção do Bill nem de
ninguém. Iria criar aquele bebé sozinha se fosse preciso. Tinha dentro de si
uma felicidade que iria nascer em nove meses. Agora sim conseguia pensar
claramente, iria enfrentar a situação de cabeça erguida e sem vergonhas, afinal
sempre tinha sido assim. Nunca tinha fugido de nada nem de ninguém, e não iria
ser agora que o ia fazer. Todos precisavam de saber da verdade, e o resto era
com ela e com o Bill, se ele quisesse fazer parte disso, claro.


Saiu do quarto e dirigiu-se para a
cozinha onde bebeu um copo de água. Estava a fazer o que estava certo, seria
difícil mas valia a pena.


Subiu de novo para o seu quarto mas
teve uma surpresa ao ver Tom com o teste de gravidez na mão.


- Estás grávida?


Nicole engoliu em seco e apenas fitou
Tom. E para sua estranheza ele sorriu.


- Eu vou ser tio?


- Vais…


Tom colocou o teste em cima da cama e
perguntou:


- O Bill já sabe?


- Não, acabei de fazer o teste há
pouco.


Tom olhou para ela e viu os seus
olhos vermelhos e as suas mãos trémulas. Ela estava com medo? De quê?


- Anda cá… - Tom passou sentou-a na
cama e passou um braço ao redor dos ombros dela – Não precisas de ter medo. Se
receias com o que Bill possa dizer, então fica relaxada, ele vai querer ficar
com essa criança. Os meus pais vão adorar a notícia, claro que vão ouvir um
pouco daqueles sermões, mas Nicole, não tens mesmo nada a temer. Nós vamos
ajudar-te, e Bill vai ficar feliz, tenho a certeza.


Olhou para Tom, tinha sorte por ter
uma amigo como ele, sempre a dar força na altura que mais precisava.


- Obrigada… Mas o meu maior medo é de
não conseguir ser a mãe que esta criança merece.


- Eu sei que vais. Tu és uma mulher
espectacular e muito forte. Consegues lidar com tudo.


Ela sorriu, e Tom ficou mais
descansado. Estava estranhamente feliz por ser tio. Nunca pensou em ter filhos,
mas quando viu aquele teste na cama dela, apenas conseguia imaginar a casa
rodeada de crianças alegres.


- E eu quero ser o padrinho.


- Claro que sim. Achas que te safavas
dessa?


Tom riu-se e disse:


- Quando vais falar com ele?


- Vou agora antes que fique sem
coragem. – Respondeu Nicole levantando-se.


- Eu espero aqui.


Nicole bateu na porta do quarto de
Bill e ouviu:


- Entra.


Bill estava sentado em frente á sua
secretária no seu computador. E quando a viu entrar abriu um sorriso.


- Nicky!


- Olá…


Bill perdeu o sorriso quando ouviu a
voz aterrada dela e os olhos encherem-se de lágrimas.


- O que se passa?


Nicole olhou para ele e começou a
ficar nervosa. Tinha pensado que a reacção dele não era tão importante mas
enganara-se. Era bastante importante, pois queria que ele adorasse a criança
tanto quanto ela.


- Bill, eu tenho uma coisa muito
importante para te dizer.


- Claro. O que se passa? Estás tão
nervosa.


Tinha que se acalmar, ou quem
sofreria as consequências era o bebé.


- Bill, responde-me a uma pergunta.


Bill olhou para ela e escutou com a
máxima de atenção.


- Nós, apesar de termos aqueles
nossos momentos, somos amigos certos? Acima de tudo nós somo amigos não é?


Bill não estava a perceber, o que se
estava a passar de tão grave?


- Sabes bem que sim. Agora diz-me o
que se passa. Não estou nada a gostar do teu nervosismo!


Nicole respirou fundo e disse:


- Bill, eu estou…


- Nicky? Tu estás bem?


E dito aquilo, Nicole cai no chão sem
sentidos. Bill correu baixando-se e gritou:


- Tom! Tom!


Bill começou a ficar desesperado, o
que se passava com ela? Estava doente? Era isso que ela queria dizer?


Tom entrou no quarto e correu para
Nicole assustado.


- Eu vou chamar uma ambulância. Ela
está muito pálida.


Bill colocou a cabeça dela nas suas
pernas e acariciou o rosto dela. O que se passava com Nicole?


Em cinco minutos a ambulância já
estava parada na casa dos Kaulitz. Os médicos colocaram Nicole numa maca e Bill
entrou com ela na ambulância.


Tom seguia-os no seu carro. Já tinha
ligado a Kelly a contar o que se passava, iria ter ao hospital com ele.


Bill não tirou a sua mão da dele por
um segundo. Porque é que não acordava? O que ela tinha? Iria ficar bem não ia?
Tinha de ficar.


Acabaram por fazer Bill esperar numa
sala pequena enquanto observavam Nicole. Tom tinha chegado segundos depois,
assim como Kelly.


- Alguma notícia? – Perguntou Kelly.


- Não.


Bill tremia, estava com medo do que
pudesse acontecer com ela.


Cinco minutos haviam passado, e nem
uma notícia. Mais cinco minutos e eles continuavam á espera.


E então, Bill viu o médico a caminhar
para eles. Finalmente, pensaram ambos.


- Como ela está? O que ela tem?


O médico sorriu para eles e
respondeu:


- Tenham calma, foi apenas uma crise
nervosa. É importante que ela se mantenha calma, ou então perde o risco de
perder o bebé.


- Claro, nós vamos tratar dela… -
Disse Bill, mas depois parou ao perceber que médico havia dito a palavra bebé.


- O quê? Ela está grávida?


- Sim. Mas não se preocupem, o bebé
está de boa saúde. Recomendo que Nicole repouse nos próximos dias.


Bill sentou-se na cadeira em choque.
Nicole estava grávida…


Tom sentou-se á beira dele e disse:


- Hey…


- Ela está grávida… Ela está grávida…


Bill não sabia o que pensar. Se havia
de ficar desesperado por ser pai tão cedo ou pular de alegria por ter um filho
que nasceria em breve. Passou as mãos pelos cabelos nervoso e depois reflectiu
melhor. Ela estava com medo de contar-lhe. Porquê?


- Porque é que ela estava com medo de
me contar? – Perguntou.


- Põe-te no lugar dela, estava com
medo da tua reacção e da de todos nós.


Bill abanou a cabeça e sorriu:


- Ela é uma tonta. Como é que eu não
poderia amar uma criança que é minha? – E ao perceber o que tinha acabado de
dizer, soube que estava feliz. Queria ter aquela criança tanto quanto Nicole. E
iria ajudá-la em tudo. Sabia que muitos no seu lugar estariam desesperados, mas
ele não. Só pensava nela, com a criança que carregava no seu ventre. Não havia
motivo para estar em sofrimento, eles tinham tudo para fazer aquela criança
nascer.


- Eu posso vê-la? – Perguntou Bill
emocionado.


- Ela está a dormir por causa do
medicamento, mas pode entrar. Ela deve acordar dentro de momentos.


Bill entrou no quarto e viu-a deitada
naquele cama a dormir tranquilamente. Ainda estava um pouco pálida, mas ele
iria tratar dela com muito cuidado.


Puxou a cadeira que estava num canto
e sentou-se ao lado dela. Agarrou a sua mãe e beijou-a.


- Não tens de ter medo de nada,
estarei sempre aqui para te ajudar.


Nicole continuava a dormir, queria
que ela acordasse para poder falar com ela. Dizer-lhe o quanto estava feliz por
ser pai.


- Acorda, acorda, acorda, acorda… -
Repetia em voz baixa nunca largando a sua mão.


Nicole abriu os olhos, não conhecia
aquele lugar, mas também não demorou a perceber que estava num quarto de
hospital. Sentiu que alguém agarrava a sua mãe e olhou para o seu lado. Era
Bill a pedir que acordasse. Ficou a observá-lo alguns segundos e depois disse:


- Bill…


Ele levantou a sua cabeça e sorriu
para ela:


- Nicky!


Nicole sorriu para ele e perguntou:


- O que se passou?


- Tiveste uma crise nervosa. O médico
disse que tens de repousar nos próximos dias, especialmente pelo bebé…


Nicole olhou para ele com receio, mas
Bill beijou a sua mão e continuou:


- Nicky, não precisas de ter medo de
nada. Eu vou estar aqui para tudo!


- Tu não estás com… medo?


- De quê? – Bill aproximou-se e
passou a mão pela barriga dela. – Desta criança? – Sorriu paternalmente e
continuou – Ela vai ser a criança mais adorada deste mundo. E tenho a certeza
de que vamos ser óptimos pais!


Nicole sorriu para ele disse:


- Contigo a meu lado eu posso tudo.


Bill beijou a testa dela e acarinhou
o rosto dela:


- Nós vamos conseguir.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
vampirinha kaulitz
Forever Addicted
Forever Addicted
avatar

Número de Mensagens : 318
Idade : 25
Localização : onde o bill estiver eu estou com ele.
Membro preferido: : bill
Música/Video : rette mich/don´t jump
Sou fã desde: : 15 de junho de 2007
Data de inscrição : 11/01/2009

MensagemAssunto: Re: A Tentação do Pecado   Ter Jan 05, 2010 9:05 pm

tinhas que parar aí.
ai que nervos
eu quero mais e rapidinhos
ouviste?
va posta mais.
beijos
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: A Tentação do Pecado   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
A Tentação do Pecado
Voltar ao Topo 
Página 3 de 4Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4  Seguinte
 Tópicos similares
-
» Gala.de - Bill Kaulitz: A tentação loira
» Puro pecado
» O Berço do Pecado
» O Pecado Final do SC82
» Se você viesse com manual de instruções as pessoas saberiam que...

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
 :: Imagination Area :: FanFiction [+18] e de TwinCest-
Ir para: